Lá em Casa

Agora nós temos um hamster: 2 semanas da Pam

19 de maio de 2017

Já fazia muito tempo (mais de um ano e meio) que a Manuela estava me pedindo um cachorro. Um drama sem fim porque queria um animalzinho de estimação. Sinceramente, eu amo cachorro, mas não dou conta de cuidar de um na minha vida atual. Porque a gente sabe que acaba sobrando para a gente né? Mas então eu encontrei o pet ideal: um hamster.

Antes que alguém comente, eu sei que o hamster não brinca como um cachorro, mas eu já vi minhas filhas com cachorros. Elas não brincam e interagem daquele jeito de propaganda de ração. Elas fazem um pouco de carinho; quando o cachorro pula, elas ficam com medo, e logo perdem o interesse. Então, o fato de a Pam (o nome da nossa hamster) não interagir muito é, na verdade, um ponto positivo  para nós.

Para mim, há vários pontos positivos quanto ao hamster:
– as meninas têm responsabilidades, mas que se elas não fizerem um dia não vou ter um mega trabalho (explico mais adiante);
– o bicho não fica solto pela casa (sujando as coisas);
– não demanda atenção constante e passa longos períodos de tempo sozinho sem estresse. Isso é importante porque temos bastante atividades fora de casa.

Como estamos completando duas semanas de hamster em casa, resolvi abordar alguns pontos que podem ajudar você a avaliar se esse pode ser um pet bacana na sua casa.

Investimento inicial

O custo inicial do hamster é relativamente elevado se comparado ao custo de manutenção (que é baixíssimo). Mas se você comparar com a compra de um cachorro nem se aproxima do valor. Compramos tudo na Cobasi Pet Shop. Vamos aos itens:
– Hamster (raça Panda): R$ 29,90
– Ração (com 500g): R$ 12 – Obs: Não usamos nem metade do pacote ainda. Deve durar tranquilamente um mês (e ainda sobrar)!
– Serragem para a gaiola: R$ 4,90 – Obs: O pacote é gigante. A Manuela exagera no uso, então, estimo que vai uns dois pacotes no mês.
– Gaiola (a que compramos já vem com roda de exercício, comedouro e bebedouro): R$ 156 (estava em promo, custava R$ 189)

Sobre os itens a serem comprados

Animal: Lá na Cobasi tinham várias espécies de roedores. Nós escolhemos pela aparência mesmo. A espécie vai influenciar nos acessórios que serão comprados.

Ração: O melhor é você perguntar para o vendedor qual é o melhor para seu bicho. Não custa caro e eles comem pouco diariamente. Sobre outras comidas, pesquise o que pode e o que não pode dar. A gente já deu cenoura, amendoim cru, pipoca e maçã. Mas sei que frutas cítricas e tomate, por exemplo, não pode. Então sempre pesquise antes de dar.

Serragem: A serragem (vai no fundo da gaiola) é importante para tirar a umidade do local (e também absorver o xixi, eca!). Tem uma outra opção que é um pouco mais cara, mas você não joga fora na limpeza. É só “peneirar” para tirar o cocô e reutilizar. Eu confesso que optei pela serragem porque imaginei a sujeira que a Manuela ia fazer toda vez que fosse limpar a gaiola. Ia sobrar para mim. O hamster também usa a serragem para fazer um “ninho” na hora de dormir.

Gaiola: Existem vários tipos de gaiola. Essa que eu comprei (mesmo com os acessórios) era mais cara que outras, mas a gente super curtiu por três razões:
– A roda é de acrílico, então é menos barulhenta (acredite, isso é importante porque o bicho adora ficar brincando à noite)
– Ela é modulada. A gente pode comprar acessórios e ir aumentando a casa, colocando áreas de lazer, tem até escorregador para comprar.
– A melhor parte, na minha opinião. Ela tem um compartimento superior que o hamster pode acessar através de um tubo. Quando a gente precisa limpar a gaiola, é só atrair o bicho para lá, a gente fecha com uma tampinha (que vem junto) e retira facilmente. A Pam fica segura e a gente consegue limpar com tranquilidade.

Comedouro: O lugar onde fica a ração do bicho precisa ser de um material resistente às roídas e que seja grande para o hamster entrar. Ele gosta de comer em cima da comida. Aqui a Pam começou a fazer cocô no comedouro (eca!) quando tem pouca ração, então a Manuela lava todo dia na hora da limpeza da gaiola.

Bebedouro: O bebedouro fica preso na gaiola e é daquele tipo que só desce a água quando o bicho lambe a ponta, sabe?

Roda e brinquedos: A roda é item indispensável porque o bicho precisa se exercitar. E eles adoram ficar correndo na roda. É bem impressionante. Outros brinquedos próprios são feitos de madeira e são importantes para que o hamster desgaste os dentes – porque eles não param de crescer e podem até furar o céu da boca. Eu não comprei no dia que a gente trouxe ela para a casa, mas já providenciei. Eles são bem baratinhos. Comprei um kit com 4 coisinhas de madeira e paguei R$ 9,90. A gente comprou depois uma roda que a gente coloca a Pam dentro e ela fica rodando pela casa (lembra do Rino, do Bolt?)

Casinha: A gente só comprou depois, mas achamos justo. É uma casinha de madeira própria para esse fim (mas tem também de outros materiais), que a Pam usa para dormir. Curitiba é muito fria e achamos injusto ela ter que se virar só com a serragem. Então, ela enche a casinha de serragem, entra e consegue se fechar lá dentro com serragem também. É impressionante. Ela adorou desde o primeiro dia.

Higiene do animal

O hamster é um bicho autolimpante, hahahaha! Ele se limpa e é uma coisa fofa vê-lo se limpando. Mas isso não significa que é cheiroso. O odor da gaiola é bem forte e vai se intensificando à medida que as horas passam após a troca da serragem.

Higiene da gaiola

A gente Manuela limpa a gaiola todos os dias porque achamos que o cheiro fica bem forte e também por que geralmente tem cocôs espalhados no meio da serragem. A gente joga fora toda a serragem e lava o comedouro. Já tivemos que lavar aquele compartimento onde ela fica durante a faxina e também a roda de brincar. Pretendemos lavar a gaiola toda uma vez por semana. A Manuela quis gravar um vídeo da limpeza (está lá embaixo).

É importante lembrar que tudo que for lavado deve ser muito bem enxaguado e também bem sequinho! Não dá para acumular umidade por conta do risco de aparecimento de fungos – e consequentemente, doenças para o animal.

Interação com as crianças

Além de fazer carinho na hora de limpar a gaiola, a gente tenta interagir com o bicho uma vez por dia. A gente faz um cercado no chão e libera ela para correr. Não é uma super interação, mas as meninas se divertem. Importante: o bicho se espreme em qualquer frestinha. Ela fugiu em um espacinho de meio centímetro outro dia. Então, garanta que seu cercado é seguro mesmo!

Agora com a bola, a gente fica mais seguro, mas a interação não é a mesma.

Onde deixar

O hamster pode ficar fedido e é barulhento porque gosta de brincar à noite, então, considere isso na hora de decidir onde ficará a gaiola.

Ele também não pode ficar em área muito geladas (nem com a gaiola diretamente grudada na parede) ou com muita luz intensa sobre ele.

Situações especiais

O hamster pode ficar estressado com muitos barulhos, luzes e com as crianças mexendo nele. Na primeira manhã que a Pam estava em casa, ela se escondeu no tubo porque era o único lugar que as meninas não alcançavam para passar a mão nela. Só saiu quando deixamos ela sozinha por alguns minutos.

Além disso, outro dia ela ficou mega estressada porque a Ana Júlia ficou mexendo a caixinha em que ela estava e mordeu o meu dedo. Doeu pacas e eu sei que foi porque estava muito nervosa.

CompartilheShare on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone

Assine nossa newsletter

Cadastre-se para receber novidades e dicas no seu e-mail

Veja também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro × cinco =

Comentários do Facebook

Assine nossa newsletter

Cadastre-se para receber novidades e dicas no seu e-mail

Me segue no snap!

Quem sou

Sou Melina Pockrandt Robaina, filha de Deus, jornalista e mãe da Manuela (6 anos) e da Ana Júlia (1 ano)

Eu sou Melina, mas pode me chamar de Mel. Moro em Curitiba (PR), sou jornalista, empresária e mãe de duas meninas maravilhosas: Manuela, 8 anos, e Ana Júlia, 3 anos. Um dos meus maiores alvos é tornar a vida mais simples e leve todos os dias.

Saiba mais

Maternidade Simples 2017 - Todos os direitos reservados