Sobre Filhos

Era uma vez um bebê que dormia bem… mas tudo mudou!

31 de julho de 2015

A memória que tenho da Manuela bebê (hoje ela tem 6 anos) é de um bebê que sempre dormiu bem à noite. Sempre mesmo! Não lembro de “recaídas” e acordadas no meio da madrugada exceto por doença. Ao mesmo tempo, sei que toda mulher sofre de amnésia, rs, aquele esquecimento que a natureza providencia para que a gente não desista de ter novos filhos futuramente.

Com a Ana Júlia, mais envolvida no mundo da maternidade e observadora, noto que, mesmo já dormindo a noite inteira (desde os 4 meses, aproximadamente), houve várias (várias mesmo) noites em que ela acordou de madrugada sem razão aparente. Às vezes, chorando. Às vezes, chorando muito. Às vezes, chorando dormindo. E, às vezes, querendo conversar como se a vida começasse às 3h da manhã (aliás, são 3h43 da madrugada e desisti de dormir quando ela acordou às 1h15 e ficou chorando sem razão até 2h).

Segundo a consultora de sono infantil Fernanda Braga, da MomMe Sleep Company, isso é muito comum, principalmente quando se fala de bebês. “São muitos os motivos que fazem um bebê a acordar de madrugada: ficou doente, ou tem algum dente nascendo, alguma mudança de rotina (tanto viagens como visitas em casa) e principalmente o famoso  salto de desenvolvimento”, comenta.

Confesso que antes da Ana Júlia eu nunca tinha ouvido falar de salto de desenvolvimento. Mas, com ela, não só conheci na teoria, mas acho que vivi na pele. Também não me recordo de a Manuela ter passado por nada parecido, mas a Ana Júlia parece ter marcado todos os saltos previstos na literatura. Afinal, o que são esses saltos de desenvolvimento? “Durante o primeiro ano de vida, a criança passa por muitas e importantes mudanças no seu desenvolvimento, por exemplo, aprende a sorrir, a rolar, sentar, engatinhar, levantar, aprende andar, etc. Um pouco antes do bebê começar a fazer algo novo, ele passa por um momento de transição, de crise, pois houve uma maturidade neurológica mas ainda não teve tempo de se adaptar a tais mudanças”, explica Fernanda.

Essa fase tende a ser marcada por mudanças de comportamento. “Neste momento ele fica mais carente, quer mais

Manuela fofucha com 11 meses!

Manuela fofucha com 11 meses!

colo, quer mamar mais, fica mais manhoso. E os efeitos não param por aí. Muitas vezes ele demora a pegar no sono, tende a acordar mais durante a madrugada, começa a acordar mais cedo”, enumera. Reconheceu a cena na sua casa? (Leia mais sobre saltos de desenvolvimento aqui)

No desespero por uma noite de sono, muitas vezes a gente volta atrás na rotina e faz de tudo para o bebê dormir, até coisas que a gente não queria, a princípio, como ninar no colo ou levar para dormir na sua cama (usei estes exemplos porque são coisas das quais eu não gosto). Fernanda lembra que você pode achar que está remediando uma situação, mas na verdade está criando um problema maior e mais difícil de remediar em longo prazo. “Tudo passa. E estes momentos difíceis também. Portanto, seja paciente e responda às necessidades do seu bebê.” Ela lista algumas atitudes práticas:

– Deixe-o brincando bastante no chão e encoraje-o a treinar durante o dia algo que ele está aprendendo a fazer, pois quando aprende a fazer algo novo, ele fica tão excitado que se não treinar bastante durante o dia vai fazer à noite. 

– Mantenha a rotina e os hábitos positivos de sono. “Se for paciente e persistente, o seu bebê vai voltar a dormir como antes num passe de mágica.”

– Dê bastante contato físico quando bebê estiver mais sensível. Carregue no sling, cante para ele, dê muito carinho!

– Se o bebê estiver passando por um momento de alteração no hábito de sono, coloque-o para dormir um pouco mais cedo para ter certeza de que ele não irá acordar cansado no dia seguinte. “Senão vira uma bola de neve: bebê cansado não dorme bem!”

– Em relação aos saltos de desenvolvimento, só no primeiro ano, são oito momentos significativos. Portanto, seja paciente, respire fundo e conte até 10!

 

CompartilheShare on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone

Assine nossa newsletter

Cadastre-se para receber novidades e dicas no seu e-mail

Veja também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco × dois =

Comentários do Facebook

Assine nossa newsletter

Cadastre-se para receber novidades e dicas no seu e-mail

Me segue no snap!

Quem sou

Sou Melina Pockrandt Robaina, filha de Deus, jornalista e mãe da Manuela (6 anos) e da Ana Júlia (1 ano)

Eu sou Melina, mas pode me chamar de Mel. Moro em Curitiba (PR), sou jornalista, empresária e mãe de duas meninas maravilhosas: Manuela, 8 anos, e Ana Júlia, 3 anos. Um dos meus maiores alvos é tornar a vida mais simples e leve todos os dias.

Saiba mais

Maternidade Simples 2017 - Todos os direitos reservados