Para Mães e Pais

Casamento após os filhos: Como driblar os obstáculos da maternidade e ter tempo a dois?

20 de janeiro de 2020

Ter momentos a dois é fundamental para a manutenção do casamento – especialmente após a chegada dos filhos. A verdade é que é muito mais fácil deixar as coisas no automático. Logo, caímos na rotina e, se não cuidarmos, nosso marido se torna um mero amigo ou alguém com quem dividimos a casa (isso quando não vira um verdadeiro inimigo).

É muito fácil amarmos os filhos. Os maridos, por outro lado, precisamos nos esforçar algumas vezes, não é mesmo? Para manter a chama acesa, cuidar do casamento é fundamental. Não se esqueça: vocês eram dois antes dos filhos e serão dois depois que eles crescerem. Como postei no instagram:

 

View this post on Instagram

Vi esse post lá no @scarymommy. E amei, claro! Fiquei pensando sobre como a cultura norte-americana tem alguns aspectos interessantes e benéficos. O fato de ser comum as crianças saírem de casa fazer faculdade, se mudando para outras cidades e estados, torna a passagem para a vida adulta muito mais real (é mais difícil ver mulheres e homens de 30 anos que ainda moram com os pais). Mas o aspecto que queria ressaltar aqui é que o “ninho vazio” é uma realidade muito mais comum às famílias por lá- e acontece cedo. Portanto, a ideia de que “seremos só nós dois novamente” é palpável. A consequência pode ser casais que investem mais no seu relacionamento. Não é um fato, só uma conjectura.

A post shared by Melina Pockrandt (@maternidadesimples) on

 

Lembrando que, nesse canal, nós acreditamos no casamento. Cremos que é preciso  comprometimento para fazer acontecer e lutar para se cumprir os votos de casamento, juramentos feitos um para o outro. 

Leia também: Filhos são para sempre. Casamento também deveria ser.

Aproveitei o tema e perguntei para as seguidoras se elas tinham cultivado esse tempo a dois nos últimos anos/meses e quais eram os obstáculos para isso. Com base nas respostas, escrevi aqui algumas ideias sobre como superar algumas das dificuldades da maternidade e cultivar os momentos do  casal.

“Não tenho vontade de estar só com o marido. Nós dois não temos vontade de sair sem os filhos.”

Todo mundo tem o direito de se sentir assim. Se vocês estão felizes dessa forma, perfeito! A única questão é que vocês realmente devem ser autocríticos: isso realmente não está afetando o nosso relacionamento? Não estamos nos afastando?

E também ter o coração aberto. Quem sabe o outro esteja incomodado e quer abrir  o coração e você não está disposto a ouvir. Esse é o primeiro passo para o afastamento.

Casamento precisa ser cultivado: água, luz, atenção. Não podemos deixar no canto e esperar que ele vá crescer. PIOR: esperar que ele não vá morrer.

“Recém-nascido em casa.”

Os primeiros três meses do bebê são meio caóticos mesmo. Tudo sai da rotina, é só sono e cansaço e todo mundo está se adequando. Esse é um período que vocês dificilmente terão um tempo ou mesmo disposição para um momento a dois.

Porém, queria incentivar vocês a colocarem esse “limite” de três meses. Porque, se depender da nossa zona de conforto, vamos levando e, quando percebemos, faz dois anos que entramos nesse ciclo de “não dá para ter tempo a dois”.

Mais uma vez repito: se você quer cultivar seu relacionamento, esse é o caminho: comprometimento de fazer acontecer.

Culpa de sair sozinhos.

Mães são perseguidas pela culpa. E a gente precisa cortar esse ciclo. Precisamos entender que, se estamos fazendo o melhor para os nossos filhos, não há razão para sentir culpa.

Nesse caso específico, vou te dar uma ajuda: existem diversos estudos científicos e livros que afirmam as crianças são mais felizes quando seus pais se amam e demonstram amor. Além disso, pais e mães felizes criam filhos mais felizes.

Horários complicados. Cansaço. Falta de organização ou prioridades.

Casamento exige esforço. Qualquer relacionamento exige! Cultivar a relação com o marido implica olharmos para esses obstáculos e decidirmos “ele é mais importante”. É fácil? Não! Mas lembra que você se comprometeu a amar em todos os momentos?

Em relação a horários complicados e rotina conturbada, existem outras opções de tempo a dois além de sair ou viajar. Além de programas dentro de casa (como eu cito ali abaixo), por que não aproveitar alguns “programas obrigatórios” para estar juntos. Por exemplo: se os dois almoçam fora, dá para se encontrar uma vez na semana? Se um vai para a academia, será que o outro não pode fazer no mesmo horário?

“Falta rede de apoio. Não tenho com quem deixar os filhos.”

A falta de pessoas para deixar os filhos é real. Nem sempre temos família perto ou mesmo uma babá de confiança. Mas abuse da babá eletrônica e vem ver algumas ideias:

  • Se seu filho já vai para a escola, será que dá para improvisar um almoço ou um café da tarde no horário da aula?
  • Dá para acordar um pouco antes das crianças para tomar um café da manhã juntos?
  • Vamos manter a rotina de sono das crianças em ordem para que elas durmam mais cedo e os pais sempre tenham um tempo só dos dois? Um jantar em casa pode ser muito romântico também!
  • Que tal marcar um dia de filme ou série semanalmente para um horário em que as crianças estão dormindo?
  • Se você tem bebê pequeno, que tal sair para jantar num horário que o bebê com certeza vai dormir no carrinho?
  • Se você tem criança mais velha, que tal ir jantar num restaurante com um espaço kids top? Uma vez fomos em uma pizzaria em que as crianças ficavam fazendo pizza na oficina com recreadores e comiam lá mesmo. Acabou sendo um ótimo tempo para nós.

Além disso, lembre: as crianças vão crescer e tudo vai ficar mais fácil.

Leia também: Marido e mulher até que o primeiro filho os separe

 

Assine nossa newsletter

Cadastre-se para receber novidades e dicas no seu e-mail

Veja também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentários do Facebook

Assine nossa newsletter

Cadastre-se para receber novidades e dicas no seu e-mail

Quem sou

Sou Melina Pockrandt Robaina, filha de Deus, jornalista e mãe da Manuela (6 anos) e da Ana Júlia (1 ano)

Eu sou Melina, mas pode me chamar de Mel. Moro em Curitiba (PR), sou jornalista, empresária e mãe de duas meninas maravilhosas: Manuela, 11 anos, e Ana Júlia, 6 anos. Um dos meus maiores alvos é tornar a vida mais simples e leve todos os dias.

Saiba mais

Maternidade Simples 2015 - 2020 - Todos os direitos reservados