fbpx
Lá em Casa

Quem vem primeiro: marido ou filhos?

8 de julho de 2015

Na minha visão pessoal, marido vem antes dos filhos (esposa também, no caso dos pais). Sei que marido é marido e filho é filho. Cada um tem seu papel e seu lugar. Aliás, “primeiro” é só uma forma de chamar atenção para algo sério: a tendência que as mães têm de colocarem os filhos antes de mais nada, inclusive em detrimento do relacionamento.

marido ou filhos

Casamento, há 10 anos!

Apesar de nem sempre conseguir fazer isso adequadamente, eu acredito que devo priorizar o meu casamento antes de mais nada. É claro que preciso e vou suprir as necessidades das crianças – tanto físicas quanto emocionais – e elas me demandam bastante tempo, mas eu não deixo que elas sejam o centro da minha casa, da minha família, da minha vida.

Isso significa que não deixo de sair sozinha com meu marido por causa das meninas, não interrompo meu marido durante uma conversa só porque minha filha está me chamando (exceto em emergências, óbvio), não vivo toda a minha rotina em volta das crianças. Meu marido sabe – ou precisa saber (como disse, nem sempre consigo…) – que ele pode contar sempre comigo.

E a recíproca é verdadeira. Na minha opinião, a esposa também tem que vir em primeiro lugar para os homens!

Abaixo explico por que penso assim.

Casamento é para a vida toda.
Eu acredito que casamento é sagrado e deve ser para a vida toda. Por isso, não concordo com quem diz “filho é para sempre, marido não”. Claro que entendo que há percalços no caminho e, às vezes, a separação parece inevitável. Mas, quando entramos no casamento, precisamos dizer o “sim” tendo na cabeça que vai ser para sempre, custe o que custar, haja o que houver. Entrega, compromisso e sacrifício são essenciais para que o relacionamento dure e não podemos esperar que o casamento seja fácil, porque ninguém disse que seria.

Antes de ser mãe, era esposa. E continuarei sendo quando meus filhos não precisarem mais de mim.
Eu fui esposa por três anos antes da Manuela nascer, fui “namorada” do meu marido por quatro anos antes disso, meu relacionamento com ele é mais antigo do que com as meninas. É ele que me ama mesmo conhecendo os meus defeitos por livre e espontânea vontade. Minhas filhas me amam porque eu sou mãe delas, meu marido me ama porque tem um compromisso comigo apesar de qualquer coisa.

Mais do que isso: no dia que elas saírem de casa, quem continuará lá para passar mais algumas décadas comigo é o meu marido. Preciso cultivar o relacionamento, a amizade, o amor para que daqui a algum tempo – não muito – eu não me encontre morando sozinha com um estranho.

Amar meu filho é natural. Meu marido, não.
Você não precisa se esforçar para amar seu filho. Você ama mesmo quando ele vomita na sua roupa, quando ele acorda 17 vezes de madrugada, quando vai mal na escola ou quando faz aquela birra no meio do shopping. Você fica com raiva, mas continua amando. É só ver aqueles bracinhos pedindo colo ou aquele olhar de desculpas, e já fica tudo bem.

Com seu marido, o amor é uma decisão diária. É preciso manter o compromisso de todo dia buscar ampliar as qualidades, diminuir os defeitos e cultivar o amor (e aqui não estou falando de romantismo e paixão). Para isso, é preciso ter tempo de qualidade, conversa, amizade e também intimidade (isso mesmo que você pensou!). É preciso uma atenção que, se não for colocada como prioridade, não será possível de colocar em prática.

Um casamento feliz oferece segurança (e modelo) para seu filho.
Não há nada que dê mais segurança para uma criança do que uma família estruturada e uma casa em harmonia. Onde não há amor, apreço, afeto, carinho; há indiferença – e, muitas vezes, raiva, discussões e brigas. Cultivar o amor entre você e seu marido é uma das maneiras de criar filhos felizes e seguros. 

Sei que falei ali em cima, mas acho melhor deixar claro para que não haja dúvidas. As necessidades das crianças são supridas sempre que surgem. Não estou falando em dar comida primeiro para o marido e depois para as crianças nem nada deste tipo. Mesmo porque sou esposa e não empregada. As atitudes práticas eu já citei lá em cima. Estou falando sobre não deixar que os filhos tomem o primeiro lugar. Pelo menos é assim na minha casa. Não estou falando que ninguém precisa concordar.

Assine nossa newsletter

Cadastre-se para receber novidades e dicas no seu e-mail

Veja também

Comentários

  1. Jorge pascoal disse:

    Olá…bom dia. Percebo hj talvez que muitos relacionamentos não se completam. Rapidamente se desfaz o que antes eram bom e agradável aos dois…mas derrepente a gravidez…talvez não planejada, não discutida por ambos….ai né???…o que vemos hj. Triste. Sem planejamento e diálogo, não há futuro.
    O quê vai restar??? Filhos abandonados.

  2. Ronaldo Costa Santana disse:

    Quem me dera que fosse assim aqui em casa!

  3. Leonardo disse:

    boa noite, tem um problema sério em casa, mora eu minha esposa e o filho dela , sempre eu percebo que ela da mais atenção mais carinho pra ele, assim ela pegou ele tem poucos dias antes ele não morava com ela, agora está morando com nós. eu gosto muito dele. Mas vocês acha certo ela dar mais atenção, carinho e deixar eu de lado, por que nós homens temos coração mole e precisamos também de amor de carinho , o que devo fazer ? deixo passar, ou levar a vida como está?

    1. Melina disse:

      Leonardo, é uma situação delicada. Você não deve competir com o filho, pois são papéis diferentes. Mas acredito que você pode conversar com sua esposa e dizer do que sente falta. Mas chegue já com sugestões de como vocês podem contornar isso. Sugira como vocês podem passar mais tempo junto. Não use essa conversa para acusar e criticar, mas sim para mostrar o quanto você a ama e sente falta da companhia dela. Espero que dê tudo certo!

  4. Viviane disse:

    Existe ex marido, mas não existe ex filho!! Acho horrível pessoas no século 21 pensarem dessa forma…. Os filhos saem de dentro da gente é vcs vão priorizar uma pessoa que pode sair a qualquer hora da sua vida? Um absurdo!!!!! O mundo tá perdido e os valores estão trocados mesmo!!
    AMO MEU FILHO A CIMA DE TUDO!!! E o resto é o resto!!!

    1. Melina disse:

      Para mim, dentro dos MEUS VALORES, tratar o marido como algo que pode se tornar ex logo de cara já é a primeira inversão. A despeito de todas as opiniões contrárias, continuo acreditando em tudo que escrevi aqui. ;)

      1. Bianca disse:

        Concordo plenamente com você, os filhos sempre serão teus filhos independente do que acontecer, o teu marido não, porém não é deixar os filhos de lado, mas ter a consciência de que o marido está ali, que precisa de Amor, carinho e atenção…..
        O que está escrito acima e a mais pra verdade. Quando tube a minha filha sio priorize ela acima de tudo, tudo era voltado a ela, quando me Dri de cobra a minha família de marido esposa e filha tinha acabado. Meu esposo buscou Amor e carinho fora e encontrou…..o que não tinha mais em casa, por isso veio a reflexão do casamento…..

    2. Dani disse:

      Concordo com você.

    3. Saulo Sidnei de Oliveira disse:

      Certa vez, eu ouvi uma ilustração muito impactante: um jovem missionário estava diante de um dilema desesperador durante uma viagem em que cruzava o oceano na companhia da esposa e filho. Quando já estavam em alto-mar, a embarcação começou a afundar. O filho e a mulher não sabiam nadar e não havia coletes nem botes salva-vidas disponíveis. A morte estava ali, pronta para atacar. E mesmo aquele jovem sendo um ótimo nadador, ele só poderia carregar um dos dois com ele, ou morreriam os três no mar. Não havia alternativa. O tempo se esgotava e ele precisava escolher entre estender as mãos na escuridão do oceano, em direção à sua esposa, ou ir em direção do seu pequeno e assustado filho. O que você acha que ele fez? Ele salvou a esposa.

      Que Deus nos livre de tamanha angústia! Sem dúvida, seria uma escolha extremamente difícil. Mas segundo o pastor que contou esta ilustração, a decisão daquele jovem foi a mais correta, pois a esposa é “uma só carne” com seu marido. Ele não teria outra opção mesmo. Eu sei que essa posição contraria os valores da sociedade atual, pois ela privilegia a relação com os filhos e negligencia o cuidado com o cônjuge. Se essa fosse uma história real e aparecesse nos noticiários, o homem certamente seria julgado como um pai inconsequente, um homem desprezível. Mas, segundo a Bíblia, isso é uma inversão de valores. A Bíblia ensina que a mulher deve ser a pessoa mais importante para o marido e, da mesma forma, o marido deve ser o mais importante para a sua esposa.

      O que ocorre com frequência hoje em dia é que as necessidades emocionais, que deveriam ser supridas pelo cônjuge, não o são. Então os pais buscam suporte emocional nos filhos. O problema é que os filhos não foram feitos para isso! Eles não devem servir como compensação para um relacionamento frio e desinteressado. Os filhos são a coroação do amor conjugal. Se o marido amar a esposa mais do que tudo e vice-versa, os filhos se sentirão mais confiantes. Eles terão segurança de que os pais se amam de coração e saberão que o lar é um lugar de paz, harmonia e segurança. Com isso, esse modelo será reproduzido nas futuras gerações da família.

  5. Silvana disse:

    Sempre tive medo de ser julgada por amar meu marido incondicionalmente, pensei ser a única a acreditar que o amor que sentia por ele era exagerado e que deveria amar meus filhos incondicionalmente ao invés do meu marido, é lógico que as amo, no entanto elas um dia cairão no mundo, construirão suas vidas sozinhas ou ao lado de alguém e eu seguirei sendo a mãe delas. Acredito que o amor entre casais, deva ter prioridade sim, pois os filhos são feitos para o mundo, porém também não podemos abdicar da nossa vida, nosso mundo e nem daquilo que nos faz bem e nos fortalece.

    1. Melina disse:

      Exatooo! :)

  6. Marcelo disse:

    Eu nunca tinha visto uma matéria tão rica e completa como esta a respeito deste assunto. Ainda não tenho filhos, mas vou levar estas verdades para minha vida a partir de agora. Meus parabéns por ser tão sensata…

  7. Roberto disse:

    Quem acha que os filhos são mais importantes do que o marido e pensando que o homem pode sair de suas vidas a qualquer momento, não deviam casar e muito menos ter filhos!o destino de vocês,idiotas, é ficarem sozinhas!seus filhinhos, segundo a experiência prática, vão deixar vocês e seguirem suas vidas,ou lhes darão um belo pontapé no traseiro se se apaixonarem por quem não presta,e muitos deles as jogarão num asilo quando ficarem velhas!o marido,se o priorizarem, estará com vocês até o fim da vida!!!

  8. Armando disse:

    Concordo plenamente, pessoas que tem a insegurança do marido ir embora a qualquer momento nem deveria ter se casado muito menos ter filhos. Já começou sem estrutura. Quer que termine como? Boa.

  9. Thuanny disse:

    Sempre coloquei minha filha como prioridade em tudo na minha vida (faculdade, trabalho, passeios) e sempre deixei meu marido (não é pai dela), de lado. Meu casamento está desmoronando e agora entendo o porque. Tenho vontade de ter um filho com ele (é a maior causa das brigas), ele diz que não quer. Creio que isto seja um motivo, ele vai perder mais ainda a minha atenção. Agradeço o texto esclarecedor. Me fez ter uma outra visão do que é um casamento e realmente ver que esta insegurança dele me deixar é exatamente porque nosso casamento não vai bem e minhas atitudes é a maior causa disto. Nunca sai sozinha com meu marido, para uma viajem a dois ou um jantar romântico. Minha filha tem que estar em todos os momentos comigo e se não pode, eu não vou. Mas agora vejo que não é bem assim. Se ele ta comigo é porque me ama e eu tenho que regar este amor. Ele também precisa do seu momento comigo e da minha atenção. Obrigada!

  10. Bia disse:

    Meninas
    Tô quase me separando por causa do filho dele. Detalhe: existe a hipótese de o menino não ser dele e isso é o que mais me chateia. Temos uma filha de 4 meses que é a cara do pai porém o menino ñ tem naaada. Em fim
    Brigamos hoje pq ele quer q o muleke durma na nossa cama, Ontem falei com ele a respeito mas ele até disse que queria se separar. Beleza, pedi desculpas e deixei ele dormir na nossa cama sozinho com o menino. Peguei nossa filha e fui dormir na minha mãe. Tô muito chateada e sinceramente ñ sei mais se quero continuar. É sempre um inferno. Eu ñ posso falar nada pq ele se ofende. Tudo gira em torno do garoto. Agora mesmo ee saiu com o menino pro banho e deixou eu e a bebê em casa. Eu disse q ñ iria pq estava chovendo e a bebê poderia gripar… Me ajudem
    Ñ aguento mais

  11. Julia disse:

    Um filho é resultado do amor entre o casal. Nenhum dos dois deve se passado de lado quando surge esse novo membro da família que veio para completar a família e nao para roubar o lugar de ninguém. Um relacionamento saudável e bem cultivado entre pai e mãe, contamina de maneira positiva os filhos! Amar seu marido, amar sua esposa, é uma maneira de também amar os filhos!:)

  12. Julia disse:

    Um filho é resultado do amor entre o casal. Nenhum dos dois deve se passado de lado quando surge esse novo membro da família que veio para completar a família e nao para roubar o lugar de ninguém. Um relacionamento saudável e bem cultivado entre pai e mãe, contamina de maneira positiva os filhos! Amar seu marido, amar sua esposa, é uma maneira de também amar os filhos!

    1. Melina disse:

      Concordo plenamente!!

  13. Leonardo disse:

    Gostei demais dos comentários, hoje tive uma pequena discussão com a minha esposa tentando explicar essas coisas para ela. Pois na minha visão o casal tem que se priorizar, pois se o casal não está bem, a família não estará, Filhos são consequências do amor do casal que existe bem antes. Infelizmente ela tem uma visão muito diferente da minha. Mais continuarei a mostrar a importância da nossa priorização.

  14. Pandora disse:

    Boa Tarde, eu não concordo com isso, acredito que cada um tem a sua importância e nenhum dos dois deve estar em um patamar mais elevado. Atualmente já sou adulta, porém não sou casada e nem tenho filhos.
    Quando era pequena eu ganhei um padastro, ele não gostava de mim e eu também não gostava dele, eu tinha 08 anos e ele 18, porém sempre que nós brigavamos a minha mãe discutia comigo e dava preferência para ele, sem contar que ela dizia para mim que ele (o meu padastro) era mais importante para ela do que eu, eu sempre fiz de tudo para ela, ajudo ela sempre que ela precisa, ele já traiu ela mais de uma vez e mesmo assim quando ela está com ele, ela faz desfeita e me trata mal. Você concorda com isso?

    1. Melina disse:

      De maneira alguma. Sua mãe errou muito! A essência deste texto é para que as mulheres não esqueçam de seus companheiros após o nascimento do filho. Mas um nunca deve ser colocado em detrimento do outro. Espero que ela possa melhorar o comportamento dela e que você possa perdoá-la de coração! <3

  15. José Marlei Magalhães disse:

    Agradeço de todo meu coração a cada palavra dita por uma mulher dona de uma sabedoria extraordinária algumas pessoas podem criticar lá mas certamente mesmo que seja 2% que lhe agradecer por algo tão grandioso que você acaba de fazer na vida de muitas pessoas eu para ser sincero eu até chorei com suas palavras porque eu sou ex-marido e sou pai de dois filhos e nunca coloquei meus filhos em primeiro lugar no mundo de um grande rei a rainha é sempre em primeiro lugar os príncipes São depois o juízo sempre como dica para que eu não possa colocar a carroça na frente dos burros

  16. Uelton José disse:

    A mensagem mais profunda e sábia relacionada a família que já li sobre o amor dos ascendentes e descendentes, tenho dois filhos e vivo brigando com a esposa, mais agora vou chama-la pra lê junto comigo essa mensagem e os comentários e vamos conversar sobre o assunto melhor apartir de agora.

  17. Glaucia disse:

    Meu marido tem um filho de outro relacionamento e, COM MUITA FREQUÊNCIA, ele solta algo como: “o meu filho é mais importante que qualquer coisa na minha vida” ou “você sabe que ele vem primeiro”. As vezes até fora do contexto, parece que faz isso pra me machucar. Eu amo o filho dele, mas não posso falar nada que eu discorde (por exemplo, dele fazer a nossa rotina girar em torno da criança) que ele reclama e me fala essas coisas. Eu não acho que ele deva amar menos o filho, mas acho que estou sobrando, não me sinto mais amada.

  18. Desconhecido disse:

    Meu marido tem um filho de 15 anos e uma d 19 …trabalho d segunda a sexta e ele de segunda a sabado….so temos odomingo livre ..e todo domingo os filhos dele vem p ca.. a n ser qndo ten algo melhor p fzr. Essa semana combinamos d sair eu e ele fzr algo a dois ..levei meus filhos p casa da avó e qndo cheguei ele falo q o filho dele ia vir…fiquei louca…nosso combinado era sair a dois ..brigamos e ele saiu com o rapaz e me deixou sozinha . Eu sai ..fui p casa d uma amiga chorar pois n aguento mais nunca ter um dia p namorar .to a 2 anos com ele e unica vez q fui ao cinema os filhos dele tavam junto . Nunca fzmos nd a dois nao saimos
    E pedir muito um dia so com meu marido ? Nao axo q sou egoista . Mas a mae dele sai td fim d semana e eu n oosso pq fico d baba fzndo sala ..parece q e coisa combinada da ex e dos filho ..nao to mais aguentando .to virando segunda opcao .pois so me da bola qndo o filho diz q nao vem pq vai p casa da namorada …isso qndo nao traz a namorada junto e passam o dia aki to cansada . Me ajudem
    Sera q sou egoista … meu marido na ultima briga foi ao cinema com o filho ..sendo q eu ele nunca levou .e ainda kiz me empurrar pq chegou em casa do cinema 11 da noite e eu n estava.

  19. Hellenzinha disse:

    Minha mãe sempre priorizou as filhas do que o marido, lembro-me que durante toda a minha infância, adolescência sempre ouvia ela dizer essa frase limitante : “Minhas filhas são para sempre, meu marido não.” Eu mesmo com pouca idade já tinha minha opinião: Se ela estava decretando isso, profetizando para a vida dela, seu subconsciente estava aos poucos criando essa realidade, cedo ou tarde iria se manifestar em sua realidade, e foi dito e feito, eles se separaram. Hoje ela está há 27 anos vivendo sozinha, porque claro que suas filhas seguiram o caminho natural da vida : Estudam, trabalham, têm suas casas, têm seus relacionamentos… Meu pai logo entrou em outro relacionamento, tem filho, está feliz e realizado, sempre prioriza a atual esposa, nunca viajam separados, essas coisas…E por todos esses anos, minha mãe alimentou expectativa de que as filhas atendessem a todas as suas necessidades emocionais, por conta dela, todas estariam solteironas, lá dentro da casa dela até hoje! Eu estou em um relacionamento onde meu companheiro já teve outro relacionamento e tem filhos, por vezes percebo suas atitudes também nesse sentido, é como se eu vivesse um filme tudo novamente, desperta memórias. Ele diz que os filhos são prioridade, são para sempre! Tem dificuldade de separar tempo para nós dois, passeios, viagens, planejar nosso futuro, quando vou tentar conversar ele fala que é porque não tenho filhos, não entendo…Enfim, é falta de experiência, conhecimento sobre a questão. Se estivesse lendo artigos preciosos como este aqui que estamos acessando, talvez mudaria de opinião. E falo com ele como falava com minha mãe, se ele não despertar para os fatos, para a vida, .está criando uma realidade na qual ficará sozinho, velho, e será que os filhos estarão firmes ao lado dele?

  20. RENATO BORGES PRADO disse:

    Estou me separando porque ela diz que meu enteado é mais importante que a própria vida, não concordo com isso, um casal deve viver a vida a dois, os filhos são frutos, e como frutos devem seguir seus destinos, há sim uma inversão de valores e isso é muito triste, pois dediquei minha vida a minha família, agora sou acusado de egoísta , isso foi o menor dos insultos, temos outro filho juntos, faço tudo por ele, mas não deixaria ela por ele, a não ser em caso extremo de agressão ou coisa desse tipo..
    E claro cometi erros, e quem nunca? pra mim seria pra sempre, mas ela não suporta mais, talvez com razão pois eu tb. não quero ser mais um calendário do ano passado, estou arrasado, mas Deus sabe o que faz.

    1. Melina disse:

      Sinto tanto em ouvir isso! Espero que vocês consigam se acertar em algum momento ainda.

  21. Roxana disse:

    O meu namorado tem um filho de 15 anos, eu não tenho nada contra o garoto, porém, eu sempre sou deixada de lado, sempre sou colocada em segundo plano quando se trata do menino. Não é a primeira vez que isso me acontece e também sei que não será a última, mas essa atitude dele me machuca muito, eu sinto que estou infeliz no nosso relacionamento apenas por causa deste garoto, não há mais nada que deixe o relacionamento abalado além disso. Ele trabalha a semana toda e ainda estuda, só sobra tempo depois das 22 h, e eu também sou muito ocupada, sobra o final de semana para ficarmos juntos e ai ou ele vai visitar o filho no interior ou o filho vem ficar na casa dele. O fato dele não saber controlar o tempo que tem livre e ajustar para ficar bem comigo e o garoto está deixando a relação abalada, tanto que eu entrei confiante, deixei o amor acontecer, mas agora eu já estou é querendo sair fora, alguém me diga algo por gentileza.

    1. Melina disse:

      Ele ainda é seu namorado! Se você tem dificuldade para lidar agora, terá também após o casamento. E tudo poderá serenais difícil. Então, ou você pula fora agora ou conseguem se acertar antes de casar 😊

  22. Lu disse:

    Eu sofro muito com isso, meu marido tem um filho de outro casamento, a gente briga muito quando o assunto é o filho dele , ele sempre me magoa falando que jamais deixaria o filho dele por nenhuma mulher, não acho que ele tenha que largar o menino, mas penso que ele tem que saber separar as coisas, um dia ele vai crescer e seguir a vida dele, quem vai ficar com ele sou eu, filhos são para o mundo, mas ele não entende isso, se falo algo do tipo ele fala que sou doente, egoísta e por aí vai, estou cansada disso tudo, ele acha que odeio o menino, mas não é isso, o que faço é comparar as atitudes dele comigo e com o filho, quando chamo ele pra sair nunca quer ir, sempre dá uma desculpa, pq tá calor, ou pq tá muito frio, ou ele está com dor de cabeça, mas quando é para buscar o filho, o mundo pode estar acabando que ele sai de casa, certas atitudes magoam demais, automaticamente você se sente segundo plano, não tenho filhos e nem pretendo ter, o nosso casamento está um fiasco, é uma pena pq amo muito ele, e se eu tivesse um filho eu teria a mesma visão, iria amar meu filho, porém não ia deixar meu casamento desmoronar por causa dele, acredito que uma hora ele irá embora de casa, pois já ameaçou várias vezes, falando que não aguenta mais nossas brigas, muitas vezes impeço que ele vá embora, porém já estou perdendo as forças, vendo que realmente ele não se importa comigo, e que a prioridade dele sempre será o filho.

  23. Clara disse:

    Fui morar com meu namorido a 3 anos e ele sempre foi obcecado pelo filho. Nós primeiros anos éramos só nos 2 logo em seguida o filho veio morar junto,e a nossa vida virou um verdadeiro inferno. Não pelo menino mas pelo pai, que por sinal já era um egoísta, depois da vinda do menino ficou pior. Ele sempre me fala que o filho é prioridade em tudo, sempre briga comigo por erros do filho. Estou se saco cheio desse relacionamento, não tenho filhos e nem pretendo ter com ele, só pelas atitudes que vejo nele, me desanimou. Já passei o pão que o diabo amassou depois que o menino veio morar com a gente, fora que passei de esposa a empregada. Os elogios viraram críticas as conversas brigas, as sugestões em reclamações. Resumindo virei um Zé ninguém dentro de uma casa, onde a maior culpa é a minha ( como ele diz) pois fala que sou muito ciumenta, acredito que exista diferença entre ciúmes e bom senso. Querer colocar um garoto de 14 anos para dormir no meio da gente é surreal pra mim.

  24. Tai disse:

    Minha mae me disse que filho nao e importante, so o marido é. Então nao vejo razão para ter filhos ? 🤷🤷

  25. Milene Toledo disse:

    Sempre disse que não né casaria com alguém que tivesse filhos, porém quando já se tem mais de 30 anos achamos que a maturidade nos ajudará a superar tudo, mas a verdade é que nem sempre é assim, pois se você é maduro o suficiente para conhecer seus limites é melhor não ir além, e exigir mais do que sabe que conseguirá suportar.

    Meu marido tem um filho, hoje com 11 anos. Quando me dei a oportunidade de conhecer o meu marido, sabia que ele tinha um filho, na época com 8 anos, o que me chamou atenção foi o quanto meu marido elogiava o filho (estudioso, educado, amoroso) até aí tudo bem, pois eu estava apenas o conhecendo, e não sabia se daria certo ou não.
    Saímos juntos pela primeira vez, na segunda vez convidei ele para ir almoçar na minha casa e conhecer minha família, afinal já iria ter uma noção do tipo de relacionamento que ele estava querendo ter comigo. Para minha surpresa ele aceitou e até chegou antes de mim na casa da minha mãe, fiquei mais surpresa ainda quando vi que ele trouxe o filho junto, minha vontade era sumir dali e só voltar quando os dois tivesses ido embora.
    Ele trouxe o videogame do filho e já instalou na tv da sala, e ali se avançaram, o que não foi nada agradável para minha mãe, pois ela gostava de assistir suas programações, e com o menino jogando não foi possível, pois ele não queria parar de jogar, tentei dar uma dica explicando que a tv era para ser usada por todos da casa em comum acordo, e que ele teria que desligar o videogame do filho. Se gerou uma guerra pois nem o pai e nem o filho gostaram, nessa hora tive que me controlar para não sair de mim e colocar os dois a correr dali. RESPIREI E MUITO….
    E já pude ver que ele fazia todas as vontades do filho. Então conversei com ele e disse que não daria certo, pois eu não saberia ter um relacionamento com alguém que já tem um filho no pacote, ele não aceitou muito bem, continuou insistindo que gostava de mim e que poderia mudar as atitudes dele. Ele chorou e usou a história do filho para me comover. (Ele quem cria o filho desde os 3meses, pois a mãe deixou com ele dizendo que precisava trabalhar) esse relacionamento dele estava terminando quando a ex engravidou, porém não foi o suficiente para eles ficaram juntos.
    A cada ano fui tentando superar esse sentimento, a ponto de pedir para terminar várias vezes, mas ele sempre chorava e eu com pena cedia,
    Começamos a conversar muito sobre o relacionamento, e se ele insistia tanto teríamos que fazer algo para dar certo, e começamos a ajustar as coisas: reservamos finais de semana para nós sairmos juntos e outro com o filho dele.
    Ele mudava as atitudes dele uma, duas semanas… Mas depois voltava tudo igual.
    Eu estava certa de uma coisa, eu queria sair daquele relacionamento a todo preço. Não estava aguentando viver assim. Tinha que pensar em algo que fizesse ele desistir de mim. Então falei em casamento, e foi a pior coisa da minha vida, pois ele se empolgou e me levou para ver as alianças, e em 8 meses eu estava noiva. E agora como terminar um noivado sem que fiquem concequencias piores e conseguir fazer ele entender e não chorar nem insistir. Eu fui morrendo aos poucos nesse relacionamento. Até que cansei de lutar, eu era vaidosa, cuidava do meu corpo e da aparência, e cansei de tudo isso, nada mais fazia sentido para mim. Eu estava infeliz e condenada.
    Começamos a ver as coisas para o casamento, ele escolheu o lugar onde poderíamos morar, pois tinha que ser perto da escola do filho e da casa da mãe dele, e ele cresceu nesse lugar e estava decidido que moraria ali. Após olharmos muitos apartamento achamos um que se encaixava com o que ele queria, todo o conforto para o filho condomínio com piscina e quadra de futebol.
    A minha exigência era (suite e 3 quartos)
    A organização da festa de casamento deu tudo errado, e casamos apenas no civil e fomos morar no apartamento.
    Ele não se programou nem para irmos viajar um final de semana após o casamento, ele teve 8 dias de licença, mas ficamos no apartamento mesmo, e o pior de tudo foi que no primeiro dia ele me deixou sozinha para levar o filho na escola.
    Ali já entendi que o caminho era sem volta e que eu teria que aguentar tudo e ele sempre iria me convencer, pois ele chorava e usava a minha fé para me convencer de que eu precisava ter paciência com ele, pois ele estava aprendendo…
    E foram essas desculpas ano após ano e dia após dia….
    Hoje fazem 6 meses que estamos casados, e não tem um dia sequer que eu possa dizer que esse casamento vale todo sacrifício que eu fiz.
    Ele continua a mesma coisa, e brigamos todos os dias, e sempre pelo mesmo motivo (O Filho)
    Cansei e ver ele falando baixinho, implorando para o filho fazer as coisas para eu não brigar com ele, o que me coloca como uma vilã na história.
    Tivemos uma briga feia e disse para ele que não queria mais o filho dele na minha casa, pois o menino mentiu sobre algo que minha mãe falou, e meu marido acreditou no menino e não no que um adulto disse.
    Por causa da escola o menino sempre morou com a vó (minha sogra) mas em todas as folgas do meu marido ele buscava o guri, e trazia aqui para nossa casa, eu estava tentando fazer esse casamento dar certo, e precisava de um tempo de convivência só com meu marido, mas para ele me dar esse tempo tive que brigar,
    Não tenho permitido que ele traga o menino na minha casa, mas todo o domingo, na folga do meu marido, prefiro que ele passe o dia na casa da mãe dele com o filho, assim não tenho nenhum dos dois para me incomodarem.
    Essas são apenas algumas das inúmeras brigas que tivemos ao longo de 3anos juntos.
    Meu marido todos os dias quando entra em casa para pelo quatro do filho e já muda a fisionomias total, o semblante dele fica triste, e acabamos sempre brigando, e mesmo grávida ele me diz coisas horríveis, como se eu estivesse separando o filho dele, que o filho e tudo para ele.
    Ele até tenta me enganar dizendo que sou prioridade na vida dele, mas as atitudes dele e a forma como ele me trata não me convencem disso
    Ele me trata bem, somente após uma briga, pois deve se sentir culpado por fazer o que faz e dizer o que diz,
    Ele grita e todos os vizinhos ouvem ele gritando, depois ele chora.
    E para minha maior tristeza descobri que estou grávida e tenho passado muito mal, estou muito triste, e desesperada, sinto que minha vida acabou.
    Todos os dias quando acordo e vejo a casa onde moro, me bate uma tristeza, pois não tenho vontade de arrumar, não tenho vontade de comer, de viver, todos os dias peço a Deus para morrer, pois não sei como sair dessa situação e cada vez mais me afundo neste poço sem fim.
    Sinto que meu marido só me trata bem para eu não brigar e para o filho dele poder voltar a frequentar a nossa casa. Eu nunca me senti amada nesse relacionamento e (não amo meu marido como sendo meu marido) não confio nele, fico sempre esperando qual será a nossa próxima briga.
    Será que ele vai me bater??
    Será que ele vai fazer algo para mim e o BB??
    Nunca sei o que pode acontecer …
    Só sei que ele só pensa no filho e nele.
    Em todo projeto do nosso apartamento, ele só se preocupava com o quarto do filho…
    Agora que está esquentando ele só pensa no filho tomando banho na piscina do condomínio.
    Jogando bola com as crianças do condomínio.
    E só o que ele fala… NÃO aguento mais.
    Por isso digo não perca a sua essência para viver uma vida infeliz ao lado de quem não casou com você porque te ama, mas sim para poder ter uma casa e poder viver com o filho na casa perfeita, como os dois sonharam. Eu sou apenas coadjuvante nessa casa.

    1. Melina disse:

      Infelizmente, você escolheu estar nesse relacionamento e não há nada mais injusto do que você querer afastar uma criança (que não tem culpa de nada) do seu pai. Sugiro que você reveja essas atitudes, tenha uma comunicação clara com seu companheiro e busquem organizar essa situação. Se você não buscar arrumar isso agora, você vai acabar sozinha com seu filho porque não vai aguentar ficar ao lado dele. E, se você realmente acha que ele é violento, procure ajude adequada.

  26. Verinha disse:

    Concor do com o texto , o casal tem se priorizar , sou casado a 4 anos com homem que tem um filho adulto e passa muito a mão na cabeca dele e não sabe diferenciar as coisas tbm fico em segundo plano , por isso a bíblia já diz o homem tem ter uma só esposa pra evitar este as situações constrangedoras.

  27. ane disse:

    eu concordo com você meu marido em primeiro lugar e depois filhos..
    filho veio depois do meu marido,porque eles tem que ser primeiro?
    e quem quiser achar ruim problema não é meu,por isso muitos maridos e esposas vão procurar carinho
    em outro lugar e outra coisa,colocar criança pra dormir na cama de casal é o maior erro do mundo.

  28. Nossa! UMA ALMA VIVA SALVA!
    Penso assim também, estou no meio de um divórcio litigioso, ja tentei de tudo para nao separarmos mas ela colocou na cabeca orgulhosa que ela nao deve satisfação, nao quer um relacionamento é é suficiente sendo mãe de 3 criancas (7, 5 e3 anos) separada.
    Tivemoa 12 anos juntos, eu pisei na bola e por isso ela me deixou, mas também teve responsabilidade nisso, como diz o texto, ela trocou a mim pela criancas, diz que faria tudo por eles mas é incapaz de perceber que eu também faria tudo por ela.
    Estou sofrendo muito, sei que estou na depressão e não vejo saída, ela vai continuar com o divórcio e eu vou morrer seja de corona ou de desgostoso, mas eu nao encontro mais caminho pra essa mulher me dr uma tregua e uma chance. Sempre que conversamos parece que ela quer me ver mal, quer me machucar, nem divorciamos e ela faz questao de salientar que esta conhecendo outras pessoas, tendo novas experiências… isso me enlouquece.

    mas enfim, fico feliz de ver que o mundo ainda tem jeito, que as pessoas entende o amor sem romantismo e, que quando vc quer, tudo é possivel.

    Obrigado por me dar esperança.

  29. juliana disse:

    Nem consegui terminar, manter o casamento custe o que custar, amar um filho é natura, misericórdia, doida, só pode.

  30. Edna disse:

    Muito bom essas experiências e diferença penso q não existe prioridade entre um e outro .e sim prioridade a Família que se forma entre esposa marido e Filhos.e q se ha amor hà compreensão vc escolhe seu cônjuge, e filhos nao pedem pra nascer sao frutos do amor entre os dois e q depende de nós pais pra amar educar e criarmos em um lar harmonioso então cabe ao casal por sua vez comprir com a responsabilidade e dousar esse amor a todos na medida certa .ha tempo pra tudo e pra todos com respeito todos seram felizes . E com filhos de outro relacionamento o mesmo amor e respeito e só se colocar no lugar do outro .vejo muitos padrasto e madrasta que no início do relacionamento tudo e lindo e compreensivo so até conquistar depois de conquistado começam a colocar os filhos como empecilho .Todos precisam ser amados todo filho um dia será esposo, esposa toda esposa um dia sera mãe,pai .O casal deve converssar e separar os momentos família com (filhos)E momentos a dois (casal)

  31. J. L disse:

    Mas e quando a mulher era mãe solteira antes, e depois quando a criança tinha 13 anos ela resolveu se relacionar com um homem abusivo e violento, que claramente não gosta da filha dela (que na verdade a vê como uma intrusa, mesmo sabendo que a criança já existia e com isso já existia um núcleo familiar), e por suas ações abusivas demonstra não gostar nem da mulher, sempre fez de tudo para tomar toda atenção para si, tirando a liberdade da criança, privando-a de fazer coisas que ela fazia anteriormente quando morava sozinha com a mãe, como por exemplo: assistir TV (não importava a hora do dia, e não era por causa de religião pq ele não tinha uma)?

    Eu não entendo a máxima de “fez tal coisa para o meu filho, fez para mim também” ou “mexeu com meu filho eu viro um leão”. Essa criança foi expulsa várias vezes, ela nunca foi embora de fato. Tinha medo. Mas se ela tivesse ido, a mãe deveria ir com ela ou manter o relacionamento por sua própria felidade, por medo de ficar sozinha no futuro? A vista dessa máxima que todas mães adoram falar.

    A pessoa que está sendo recebida nesse núcleo familiar não é quem deve se encaixar e posteriormente adaptar as coisas conforme a necessidade de cada um? Ou a criança, seus gostos, manias, necessidades de filhos devem ser sacrificadas por essa pessoa, mesmo sabendo que a criança ainda está em formação e tem menos maturidade para entender a necessidade de uma pessoa mais velha?

    Será que é concebível simplesmente sumir, deixar essa criança sozinha em casa a noite (sendo que ela nunca ficou antes) sem nenhum aviso, bilhete, ligação de para onde foi para chegar no dia seguinte as 10h da manhã e falar que passou a noite com o namorado e ainda, fora da cidade?

    Só queria entender…

    Hoje tem quase 30 anos, sofro de depressão, síndrome do abandono, filofobia, ansiedade… Eu não conheci meu pai. Ele não me assumiu. Tive uma mãe, mas ela foi suprir suas necessidades de mulher e esqueceu das minhas de crianças. E no final das contas ela que não queria viver sozinha, tem alguém e eu que um dia ia crescer e poderia formar uma família, sou doente e vivo só.

    Tudo que é em excesso ou falta, faz mal!

  32. Jumara disse:

    Quando os pais biológicos ou adotivos amam e respeitam os filhos e cônjuges nada falta.
    Balela de primeiro ou segundo é tudo amor quando a familia é estruturada em Deus…
    Bando de loucos em querer atenção só pra si,procurando encrenca e falando que é por causa dos filhos.
    Homem trai esposa ,trai a familia e dps vem com conversas de falta de atenção!
    Quando ha amor e respeito por todos não têm problema com isso!
    Ex: eu estou brincando com minha filha o padrasto tem que juntar e somar na brincadeira e não dizer que está carente porque eu estou brincando com minha cria…
    Bando de doentes!
    Obs: os cônjuges devem os dois colocar os filhos em primeiro lugar.

  33. D.c.m. disse:

    Sou absolutamente contrária à opinião expressa no texto e em alguns comentários. Trago o ponto de vista de uma filha, já que as opiniões foram baseadas sob a perspectiva de esposa/esposo.
    Meus pais agem dessa forma, mas nunca falaram de forma direta para mim, mas é perceptível. Se eu discordo da opinião do meu pai, minha mãe vai lá e diz que eu devo concordar com ele, se eu discordo da minha mãe, o meu pai vai lá e fala que eu tenho que concordar com ela, porque é ela que está certa. Resumindo a ópera: eu nunca estou certa, ou tenho a minha opinião valorizada, porque eles ficam nesse joguinho e a corda sempre arrebenta para o meu lado.
    Mas, você que está lendo deve estar pensando que eles fazem isso porque se amam muito (como foi dito no texto), mas não é essa a realidade. O meu pai pinta e borda (se é que vocês me entendem) e a minha mãe o trata super bem, sabendo que ele pinta e borda, a voz dela até muda quando fala com ele!!!
    Agora se eu falo um “ai” diferente do que ela espera ouvir, ela se transforma, fala um monte de coisas para mim, por coisas mínimas, situações banais, o que me deixa muito chateada. Se o meu pai me ofende, o que ele já fez algumas vezes, ela não fala nada, não me defende, passa o pano na situação, diz que não é tudo isso e não se posiciona.
    Quando eu e minha mãe estamos em uma conversa e discordamos de alguma coisa o meu pai vai lá e fica do lado da minha mãe, independentemente do assunto, e às vezes até sem saber o que estamos falando.
    Enfim, eu acho isso muito ruim, esse pensamento é muito prejudicial para os filhos, porque transmite uma sensação que nós não somos suficientes ou que não acrescentamos em nada. Aí vem o meu questionamento, se eles se “amam” tanto e são autosuficientes porque quiseram ter filho, então?
    Eu tenho muita vontade de casar e ter filhos, mas tenho muito receio de reproduzir esse comportamento e meus filhos se sentirem como eu me sinto.

  34. Ana disse:

    Minha mãe deixou sempre mto claro q meu padrasto estava em primeiro lugar na vida dela, hoje não quero ter filhos por medo deles passarem oq eu passei, isso de colocar marido em primeiro lugar só me fez se afastar dela e pegar ódio, se um dia eu tiver filhos nunca vou colocar nada a cima deles.

  35. Tatiana Fabíola guerra disse:

    Eu concordo plenamente com você. Mas muitas pessoas não veem assim. Eu tentei um segundo casamento baseado nestes princípios e não foi adiante o marido não entendia isso e me deixava de lado e tbm a nossa rotina sempre para priorizar as filhas de outro casamento mesmo q não era uma urgência. Eu fiquei acamada e ele me deixou sozinha pra uma tarde de lazer. Vejo que em toda situação existe um meio termo e que num casamento a prioridade da esposa é o marido e vice versa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentários do Facebook

Assine nossa newsletter

Cadastre-se para receber novidades e dicas no seu e-mail

Quem sou

Sou Melina Pockrandt Robaina, filha de Deus, jornalista e mãe da Manuela (6 anos) e da Ana Júlia (1 ano)

Eu sou Melina, mas pode me chamar de Mel. Moro em Curitiba (PR), sou jornalista, empresária e mãe de duas meninas maravilhosas: Manuela, 11 anos, e Ana Júlia, 6 anos. Um dos meus maiores alvos é tornar a vida mais simples e leve todos os dias.

Saiba mais

Maternidade Simples 2015 - 2021 - Todos os direitos reservados