Lá em Casa

Devocional infantil: A arca de Noé

5 de fevereiro de 2019

Eu costumo compartilhar algumas experiências nas redes sociais dos nossos devocionais infantil aqui em casa com as meninas. E o pessoal por lá disse que tinha interesse que eu mostrasse mais das nossas abordagens. Então, vamos lá.

*Devocional é o tempo que a gente dedica para orar e estudar a Bíblia.

Devocional infantil

Tema: O estrago que o pecado faz
História utilizada: A arca de Noé
Livro utilizado: Conta pra mim – Histórias da Bíblia (Sociedade Bíblica do Brasil) – De onde foi extraída a imagem destaque deste post
Idade da realização: 4 anos

A história

Usamos a história da Arca de Noé nesse dia. No livro que lemos, a história é bem completa: começa na razão pela qual Deus mandou o dilúvio, fala da integridade de Noé, a construção da arca, a salvação de toda a família dele, os animais na arca, a chuva longa e, por fim, a saída da arca, o sinal do arco-íris e a ordem de Deus de reconstruir o planeta.

Abordagens

Essa história tem muitas abordagens possíveis: a salvação, a redenção, a fidelidade de Deus, a obediência de Noé… Enfim, muitas mesmo! E todas elas são importantes.

Mas importante, porém, é entender o que Deus quer falar com seu filho naquele momento. E para isso, precisamos pedir discernimento e direção do Espírito Santo. A abordagem que eu tive nesse dia foi algo que eu nem imaginava, mas veio ao meu coração na hora que estávamos lendo a história e tenho certeza de que foi inspiração divina.

A destruição que o pecado traz

No final da história, em nosso livro, a narrativa diz:

Todos saíram da arca quando a água baixo
“Vão reconstruir o mundo”, foi o que Deus mandou

Perguntas que fiz para a Ana Júlia, para que ela pensasse e me respondesse:

  • Por que o mundo foi destruído? Por causa do pecado!
  • Você acha que é fácil reconstruir o mundo todo, como Deus mandou? Não

Assim, concluímos que o pecado estraga coisas que são difíceis de reconstruir. É possível, mas é difícil. Então, melhor do que consertar depois, é não estragar.

Trazendo para o dia a dia

Para tornar mais claro, contei a seguinte história:

Ana, pense que você perguntou para a sua amiga, Joana, se ela tinha uma boneca. E ela disse que não, mas você foi na casa dela e viu que ela tinha. Ela mentiu para você.

Depois você perguntou se ela tinha um carrinho. Ela disse que não, mas você viu que ela tinha. Ela mentiu para você de novo.

Se você perguntar se ela tem uma bola e ela disse que não, você vai acreditar? 

Ana Júlia respondeu que não iria acreditar, pois a amiga já tinha mentido outras vezes. E eu expliquei que o pecado – a mentira – destruiu algo – a confiança – e que agora a menina teria que reconstruir a confiança e o relacionamento. Não é fácil, mas possível.

Aproveitei para falar de outros pecados: além da mentira, quando a gente desobedece, quando brigamos com os amigos ou irmãos, quando falamos mal ou ofendemos uma pessoa.

Não se limite

Claro que você não precisa se limitar a apenas uma abordagem. Eu aproveitei e lembrei que Deus sempre tem restauração e conserto (redenção). Mas frisei que nossos pecados podem trazer prejuízos que vão demandar esforço nosso para corrigir.

Não esqueça

Não esqueça sempre de orar antes do devocional, pedindo que o Espírito Santo fale com seu filho e ensine a Palavra. Eu sempre peço para a Ana Júlia orar junto comigo, normalmente, repetindo uma oração pedindo a ação de Deus e que a mensagem entre no coração e mude nossas vidas.

Leia também

Como ensinar a Bíblia às crianças?

Assine nossa newsletter

Cadastre-se para receber novidades e dicas no seu e-mail

Veja também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentários do Facebook

PUBLICIDADE

Assine nossa newsletter

Cadastre-se para receber novidades e dicas no seu e-mail

Quem sou

Sou Melina Pockrandt Robaina, filha de Deus, jornalista e mãe da Manuela (6 anos) e da Ana Júlia (1 ano)

Eu sou Melina, mas pode me chamar de Mel. Moro em Curitiba (PR), sou jornalista, empresária e mãe de duas meninas maravilhosas: Manuela, 9 anos, e Ana Júlia, 4 anos. Um dos meus maiores alvos é tornar a vida mais simples e leve todos os dias.

Saiba mais

Maternidade Simples 2017 - Todos os direitos reservados