Lá em Casa Escola nos Estados unidos tricula na escola pública Estados Unidos

Escola nos Estados Unidos: matrícula no Elementary e Middle School

14 de abril de 2022

Depois de 20 dias nos Estados Unidos, minhas filhas começaram a estudar finalmente. Aqui, quero falar um pouco como foi o processo de matrícula na escola nos Estados Unidos.

Quando a gente estava no processo de mudança (meu marido está aqui a trabalho – visto L1), eu quase não achei informação na internet sobre como matricular as crianças na escola nos EUA, então, espero que esse conteúdo possa ajudar de alguma forma quem tem essa dúvida.

Vou colocar alguns pontos resumidos abaixo, mas indico que você assista ao vídeo que está no final, pois falo de mais aspectos por lá.

Matrícula na escola nos Estados Unidos

Assim que a gente conseguiu se estabelecer um pouco melhor, fomos atrás da questão da escola das meninas. Aqui nos EUA, o primeiro ponto a considerar é onde você mora porque seus filhos frequentarão a escola pública mais perto da sua casa.

Mesmo na moradia temporária, nós temos direito à escola. Aliás, aqui nos EUA, nenhuma escola nega matrícula para ninguém (segundo o que dizem), até para os imigrantes ilegais.

Seu distrito escolar

Então, o primeiro ponto é descobrir o distrito escolar em que você está. Nós acessamos o site do nosso distrito e lá tinha a pessoa que deveríamos contatar. Fiz isso por email e recebi muito rapidamente a resposta com o link do formulário da matrícula (dados pessoais, escolares e de saúde) e a lista de documentos necessários.

Documentos necessários para a matrícula

Foram solicitados:

  • certidão de nascimento original
  • documento com foto (passaporte)
  • comprovante de residência (no nosso caso, aceitaram uma carta do gerente do hotel com nossas informações de hospedagem)
  • comprovante de vacinação (a carteirinha que eu trouxe do Brasil com as vacinas da rede pública foi suficiente; não pediram vacina de covid aqui na Pensilvânia, onde estou)

Sobre o idioma

No formulário de matrícula, eles perguntam o idioma que a criança e seus pais falam. Além disso, as meninas passaram por uma entrevista pedagógica para diagnóstico da fluência no idioma.

Ana Júlia, 7 anos, fez uma entrevista oral que durou certa de 50 minutos. Ela sabe pouco inglês, portanto tem a ajuda de um professor específico na área do idioma. Todos os dias na escola, por uma hora, recebe atividades específicas para melhorar a familiaridade com a língua inglesa.

A Manuela, 13 anos, fez uma prova diagnóstica no computador e, devido à sua fluência ser melhor, não precisará da ajuda específica. Só foi informado na escola que o inglês não é sua língua materna. De qualquer forma, o coordenador a apresentou para alguns alunos que falam espanhol que podem ajudá-la em sala (já que não tem ninguém que fale português).

No vídeo eu comento um pouco mais sobre como eles buscam integram ao máximo os alunos de qualquer nacionalidade ou idioma.

Processo rápido e materiais gratuitos

Entre o primeiro contato com a escola e o início das aulas foram cinco dias úteis somente. Eles foram muito rápidos!

As meninas já saíram da entrevista pedagógica com todo material de papelaria que precisam (lápis, caderno, caneta etc) e, no primeiro dia de aula, receberam dispositivos eletrônicos que ficam à disposição do aluno ao longo do ano. Ele traz pra casa e tem a responsabilidade de levar para escola todos os dias. Manuela recebeu um chromebook (notebook baseado em internet) e Ana Júlia recebeu um iPad.

As duas vão e voltam da escola com o ônibus (gratuito), que vem buscá-la e deixá-las na porta do nosso hotel!

Além disso, tem refeições na escola: café da manhã e almoço. Normalmente, quem opta por fazer as refeições na escola (e não levar de casa), paga um valor (no vídeo eu coloco os preços do momento). Nesse ano, 2022, as refeições estão sendo gratuitas para todos ainda por conta da COVID.

Especificidades das escolas nos EUA

Lembrando algumas especificidades das escolas nos Estados Unidos.

  • O ano letivo começa em agosto e termina em junho. Ou seja, minhas filhas estão fazendo os últimos meses do ano letivo que começou em 2021 e termina agora em junho de 2022.
  • As escolas públicas não atendem a todas as séries no mesmo local. São várias escolas que atendem a faixas etárias especificas. A Ana Júlia está numa Elementary (do 1º ao 5º ano). Manuela está numa Middle (6º a 8º ano). Ano que vem ela vai para uma High School (9º ao 12º – nosso terceirão do Ensino Médio).
  • O horário escolar também é diferente: começa cedo e termina na metade da tarde. Manuela entra às 7:38 e sai 2:45; Ana Júlia entra 8h30 e sai 15h30.

Se esse assunto interessa, assista também outros dois vídeos que fiz após esses:

– Nem tudo são flores na matrícula escolar
– Curiosidades sobre a escola nos EUA
– Sistema (muito legal) do High School nos EUA

Matrícula na escola nos EUA

No vídeo abaixo eu conto um pouco desse processo de matricular minhas filhas nas escolas públicas dos Estados Unidos.

Como é a escola nos EUA: Elementary School e Middle School

Manuela e Ana Júlia contam um pouco sobre a experiência na escola pública dos EUA nos vídeos abaixo.

 

 

Assine nossa newsletter

Cadastre-se para receber novidades e dicas no seu e-mail

Comentários

  1. Marta costa disse:

    Amei tudo que li as informações são básicas mas maravilhosa ass.marta

  2. Márcia Adriana Silva Coimbra disse:

    Muito bom saber os detalhes das escolas no exterior. Obrigada por ser tão gentil em explicar.. Temos vontade de morar fora , não temos mais crianças, todos formados gracas a Deus. Porém sinto imenso desejo de morar nos EUA. Conhecer culturas diferentes e interagir com pessoas bacanas como você. Abraços. Dra Márcia Adriana Silva Coimbra GOIÂNIA GO

  3. Ademir disse:

    Em relação à equiparação, como funcionou? Elas já cursavam no Brasil e reiniciaram lá ou continuaram de onde pararam? Obrigado ??

  4. Raiane disse:

    Não teve problema em matricular elas na metade do ano letivo?

  5. Cléo paes disse:

    Olá, seu blog foi exatamente o que eu precisava. Estou de mudança para os EUA, mais precisamente para a Pensilvânia (como você), e com as preocupações de uma mãe que tem um filho pré-teen que não fala nada de inglês. Foi esclarecedor saber o que levar ou não de documentos (inclusive para a gata, sim eu achei o seu blog através do vídeo que falava do transporte do pet), acabou de ganhar uma seguidora!

  6. Cléo paes disse:

    ** através de um vídeo ** para levar a gata pros estados unidos (me expressei mal, desculpe).

  7. Ana disse:

    As escolas tem algum custo mesmo sendo públicas?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois × cinco =

Assine nossa newsletter

Cadastre-se para receber novidades e dicas no seu e-mail

Quem Sou

Sou Melina Pockrandt Robaina, filha de Deus, jornalista e mãe da Manuela (6 anos) e da Ana Júlia (1 ano)

Eu sou Melina, mas pode me chamar de Mel. Amo escrever, amo meu marido, amo minhas três filhas e, acima de tudo, amo Jesus. Moramos na Pensilvânia, nos EUA, e, sempre que consigo, gosto de falar sobre minhas experiências, aprendizados e desafios seja na maternidade, na vida cristã ou como imigrante.

Saiba mais

Maternidade Simples 2015 - 2024 - Todos os direitos reservados