Sobre Filhos

Dicas para casais sem filhos receberem os amigos com crianças em casa

20 de novembro de 2015

Um casal de amigos veio jantar aqui em casa. A esposa disse que nos chamaria para ir à casa deles, mas só depois que eu fizesse um post no blog dando dicas de como receber crianças em casa, já que eles não têm filhos. Este post é para você, Daiane. A partir de agora, já estou na contagem regressiva!

CONVIDE
Antes de mais nada, eu quero dizer para vocês, casais sem filhos, não deixem de convidar seus amigos com filhos para passar tempo com vocês. A gente tem saudade! As coisas mudam, ficam difíceis, agenda mais apertada, mas nós ainda gostamos de bater papo, jogar conversa fora, se divertir. Então, mantenham a gente, pais, na sua lista de contatos.

SAIBA QUE A GENTE PODE DIZER “NÃO” OU FAZER UMA CONTRA PROPOSTA
Talvez aquela data não seja a mais indicada. Pode estar nascendo um dente, rolando uma reação de vacina ou semana de provas. Talvez o problema seja o horário, então, a gente pode acabar fazendo uma contra proposta, trocando o lugar ou a hora do programa. Por favor, seja flexível e nos ame mesmo assim.

INCLUA AS CRIANÇAS NO CONVITE
Por incrível que pareça, nem sempre a gente se sente confortável em levar as crianças nos programas. Mas nos sentimos muito felizes quando elas são bem-vindas. Pode parecer besteira, mas se você lembrar, coloque este detalhe: “Queremos que vocês e as crianças venham aqui em casa…”.

AS CRIANÇAS PODEM OU NÃO ESTAR PRESENTE
E mesmo com o convite estendido, pode ser que a gente não leve as crianças!! Muitas vezes, podemos aproveitar a oportunidade para passar um tempo de adulto com vocês. Se for fundamental saber da presença das crianças, nos avise, tudo bem?

CONSIDERE E COMUNIQUE A ALIMENTAÇÃO
Se o programa envolver comida, é essencial considerar a presença das crianças. Se forem menores de dois anos de idade, é importante perguntar para os pais o que pode ser servido ou sugerir que eles tragam alguma comidinha apropriada. Eu, particularmente, não ficaria ofendida se, por exemplo, algum amigo me falasse: “a janta vai ser risoto de gorgonzola. Tem algo que podemos preparar para seu filho comer ou você prefere trazer a comida dele separada?”.

Crianças maiores tendem a ter mais liberdade na alimentação. Mas, se você tiver dúvidas, não custa comentar o cardápio antes porque às vezes pode rolar intolerância, alergia ou mesmo frescura com alguma comida.

Em geral, para crianças que não têm restrição há alimentos que dificilmente têm erro: macarrão com molhos simples, carne assada, risoto de frango, sopas, café da tarde (com pão, queijo, leite, frutas etc). Enfim, existem algumas ideias mais e outras menos saudáveis, mas que não são difíceis de oferecer.

Se anfitriões e convidados forem comprar a comida juntos, tudo fica mais fácil. Mas deixe isso claro, pois as crianças já podem ir alimentadas para não ficarem com tanta fome enquanto aguardam o pedido.

Ah, se as crianças forem comer na sua casa, será ótimo se você tiver copo e prato de plástico. E não se preocupe em usar sua melhor toalha de mesa porque acidentes podem acontecer…

ENTRETENIMENTO INFANTIL
A maior preocupação é: o que as crianças vão fazer em uma casa sem brinquedos? Acho que os pais conhecem seus filhos melhor do que ninguém e normalmente já vão preparados para essa ocasião. Mas, claro, que se os anfitriões quiserem, há algumas coisas que ajudam:

– Televisão: tenha uma TV à disposição da criança que quiser assistir a desenhos animados. Canais infantis, Netflix, DVDs são importantes. Caso não seja possível e os pais não tenham levado um tablet ou algo parecido, até um computador ajuda.

– Gibis: para as crianças mais velhas, ter gibis é uma boa opção de lazer. A Manuela poderia passar uma semana na casa de quem tivesse revistinhas novas para ela ler, rs.

– Para colorir e desenhar: papel, giz de cera, lápis de cor são produtos baratos e fáceis de ter em casa. E, em geral, as crianças (até uns 5 anos) curtem desenhar. Se você quiser investir, revistas com desenhos para colorir são bacanas. Existem livros com desenhos bem legais que custam menos de 10 reais nas livrarias.

– Passatempo: ainda na linha “se você quiser investir”, existem livrinhos de passatempos, com brincadeiras e joguinhos, que vão fazer sucesso com as crianças mais velhas, como a Manuela que já não curte mais desenhar.

– Objetos que são permitidos: ainda que você e os pais tenham uma gama de opções para as crianças se divertirem, o que mais chama a atenção são coisas que não são destinadas a elas. Por isso, se você tiver opções que são permitidas, deixe ao alcance e avise para elas (talvez aos poucos, para não queimar todos os cartuchos, rs). Exemplo: um baralho, um livro interessante, um álbum de fotos de lugares exóticos… Existem coisas simples que as crianças vão curtir.

NÃO TENHA MEDO EM DIZER “NÃO PODE”
Se estamos na sua casa, você é quem manda lá e minhas filhas são educadas para saber disso (ou deveriam ser, hahahaha). Por isso, se elas mexerem em algo que não pode, fale – com carinho, claro – que não é permitido. Isso também vai servir para que os pais entendam o que eles precisam proibir ou não. Você pode falar a primeira vez e nós vamos nos atentar para não deixar que o comportamento se repita.

NÃO PRECISA VIRAR SUA CASA DE CABEÇA PARA BAIXO
Agora estou falando por mim. Eu procuro educar as minhas filhas para que elas cuidem do que fazem e não mexam nas coisas dos outros sem autorização. Mesmo a Juju, com 1 ano e meio, recebe um “não” quando vai fazer algo que não pode e depois não repete mais a ação. Até tenta, às vezes, mas sabe que não pode. Assim, não precisa tirar todos os objetos de decoração da casa ou mudar a posição das coisas para evitar acidentes. Se a gente perceber que algo desse gênero é necessário, a gente sugere e faz junto depois de chegar. É claro que se você tem uma espada ninja que fica apoiada no chão da parede do hall de entrada ou um enfeite de cristal que fica na mesa de centro da sala de estar, talvez seja melhor tirar do alcance, rs.

AS CRIANÇAS PODEM FICAR CHATAS
Se os filhos ficarem entediados ou com sono, muito provavelmente começarão a ficar chatos, demandarão mais atenção e ficarão incomodando. Não é pessoal. É infantil mesmo!

POR ISSO, O PROGRAMA PODE SER CURTO
Já fique preparado para o fato de que, provavelmente, a gente vá embora cedo. Dificilmente, uma saída com as crianças irá durar mais do que três horas, por exemplo. Não é a companhia que não está boa, mas é o dever que nos chama.

CompartilheShare on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone

Assine nossa newsletter

Cadastre-se para receber novidades e dicas no seu e-mail

Veja também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dez + oito =

Comentários do Facebook

Assine nossa newsletter

Cadastre-se para receber novidades e dicas no seu e-mail

Me segue no snap!

Quem sou

Sou Melina Pockrandt Robaina, filha de Deus, jornalista e mãe da Manuela (6 anos) e da Ana Júlia (1 ano)

Eu sou Melina, mas pode me chamar de Mel. Moro em Curitiba (PR), sou jornalista, empresária e mãe de duas meninas maravilhosas: Manuela, 8 anos, e Ana Júlia, 3 anos. Um dos meus maiores alvos é tornar a vida mais simples e leve todos os dias.

Saiba mais

Maternidade Simples 2017 - Todos os direitos reservados