Para Mães e Pais

{Pergunte para a nutricionista} Café da manhã das crianças

15 de novembro de 2015

Em parceria com a nutricionista Paola Bueno Preusse, do blog Maternidade Colorida, comecei lá no Instagram a série “Pergunte para a nutricionista”. A cada 15 dias, vamos selecionar um tema e as leitoras poderão enviar dúvidas que serão respondidas pela especialista e reproduzidas aqui no blog.

Este é o primeiro texto, com o tema “café da manhã das crianças”. E a discussão foi muito bacana.

Para começar, acho muito importante esclarecer que o café da manhã é uma refeição muito importante! “Todas as pessoas precisam tomar um café da manhã completo. Passamos a noite toda sem nos alimentarmos e gastamos muita energia, pois nosso organismo não para. Ao acordar, precisamos repor essa energia e nos prepararmos para o dia que virá”, comenta a nutricionista Paola.

Lembrando que é na infância que os hábitos alimentares são formados, não podemos ignorar a necessidade de ensinar nossos filhos a comerem adequadamente nessa refeição. Já contei por aqui no blog a dificuldade que eu e a Manuela temos com o café e como estamos nos esforçando para mudar. Com a Ana Júlia, tento não repetir os mesmos erros que cometi com a mais velha, incentivando-a a alimentar-se pela manhã.

Pensando nisso tudo, a nutricionista esclareceu alguns pontos bem importantes sobre o tema:

COM QUE IDADE O BEBÊ DEVE COMEÇAR A TOMAR CAFÉ DA MANHÃ?

A refeição “café da manhã” é um hábito que deve ser introduzido a partir de um ano de idade. “Porque é nesse momento que se aumenta a gama de comidas que a criança pode comer. Além disso, já se passaram seis meses da introdução alimentar e ela já está acostumada a se alimentar de outras coisas além do leite”, comenta Paola.

Depois dos seis meses – início da introdução alimentar – deve-se priorizar o aleitamento materno livre demanda e a inclusão de frutas no lanche da manhã e lanche da tarde. Se a criança tomar fórmula, pode tomar uma mamadeira ao acordar e mais tarde comer uma fruta, não precisando ingerir bolachas ou pães. “A fruta é a melhor opção para os lanches dos bebês menores de um ano. Lembrando que nessa idade não é indicado a criança tomar sucos, mesmo os naturais, por conta da quantidade elevada de açúcar. Prefira dar a própria fruta para o bebê até 12 meses.”

MEU FILHO SÓ TOMA LEITE DE MANHÃ. TEM PROBLEMA?

Se a criança tem menos de 1 ano, não há problema nenhum. Mas a partir desta idade, ela precisa começar a se alimentar adequadamente com um café da manhã completo. “Se a criança ainda mama no seio, o aleitamento deve ser livre demanda. Então, ela pode mamar ao acordar, mas logo em seguida deve ser levada à mesa para comer outros alimentos”, explica a nutricionista.

Se a criança toma fórmula, a especialista indica que o leite seja oferecido na mesa de café da manhã, preferencialmente em um copo (com bico ou não). “Se a criança tomar uma mamadeira de fórmula na cama assim que acorda, estará com seu estômago cheio e não vai querer comer outros alimentos. Afinal, é muito mais gostoso tomar um ‘mamazinho’ docinho deitada do que sentar na mesa e se ‘esforçar’ para se alimentar. Mas é uma mudança que deve acontecer, pois o leite contempla apenas um grupo alimentar além de não estimular a mastigação.”

É comum, até pela falta de insistência nossa (digo “nossa” porque aqui em casa também sofro disso), que a criança prolongue o hábito de querer apenas tomar leite pela manhã. Mas é preciso mudar isso. Por isso, a nutricionista afirmou: se for preciso, tire o leite do cardápio para incentivar seu filho a comer outros alimentos. “Ofereça um suco e outras fontes de cálcio nessa refeição, pois o leite supre as necessidades energéticas da criança e ocupa um espaço grande no estômago, tirando o apetite”. explica.

MAS O LEITE NÃO VAI FAZER FALTA? QUAL É A QUANTIDADE DE LEITE QUE A CRIANÇA PRECISA TOMAR POR DIA?

Segundo a nutricionista, a nossa cultura transformou o leite no herói do cálcio, mas se a criança pode comer derivados do leite e tem uma alimentação variada e rica em vegetais, ela não precisa do leite em si para consumir o nutriente. “É mais cultural do que necessário. Temos muitas outras opções ricas em cálcio. Tente oferecer para a criança iogurte natural, queijo, ricota, gergelim, amêndoas, castanhas, que são outros alimentos ricos no nutriente.”

MAS MEU FILHO ACORDA MUITO TARDE, TENHO MEDO QUE O CAFÉ DA MANHÃ INTERFIRA NO ALMOÇO.

A partir de 1 ano, os pais precisam introduzir a rotina alimentar, tendo o café da manhã como uma primeira refeição. Se a criança acorda muito tarde, então atrase o horário do almoço. Se a criança precisa almoçar em um horário determinado por causa do horário da escola ou outro motivo, então faça-a acordar mais cedo e, para isso, coloque seu filho na cama mais cedo para que durma tudo o que precisa. Tomar o café da manhã não é negociável.

MEU FILHO NÃO QUER MAIS COMER NO CAFÉ DA MANHÃ. O QUE FAZER?

Os pais precisam determinar como será a rotina de alimentação da criança e pular o café da manhã não é uma opção. Se a criança não quer mais comer, tente variar os alimentos, invista em apresentações mais lúdicas, tire o leite (ou outro alimento que é o único que a criança come) para que ela tenha apetite para outros alimentos. “Insista, converse com seu filho, mas se há muita dificuldade, procure um profissional da nutrição para que haja um acompanhamento individual.”

A CRIANÇA PODE COMER SÓ FRUTA NO CAFÉ DA MANHÃ?

Não, porque o café da manhã precisa ser uma refeição completa e balanceada com todos os nutrientes. A partir de um ano, você precisa inserir outros grupos, inclusive o carboidrato: pão, torrada, bolo caseiro, biscoito salgado caseiro, panqueca integral, etc. “Carboidrato no café da manhã vai ser algo com um farináceo, mas sempre de boa qualidade. Então, prefira tudo o que é caseiro e fresco. Evite ao máximo os industrializados.”

Além do carboidrato e da fruta, o café deve contemplar fontes de proteína: leite e derivados, pasta de grão de bico, atum, frango desfiado, ovo, tofu, entre outras opções. “Em relação ao ovo, eu indico três vezes na semana, considerando todas as refeições e não apenas o café da manhã.”

OUTROS ASSUNTOS

Chá: Segundo a nutricionista, a indicação é que tome a partir de um ano, mas não é uma opção interessante para o café da manhã, pela ausência de nutrientes e calorias. “Chá preto, mate e outros com cafeína, eu indico apenas após os 7 anos – assim como café preto”, orienta.
Fórmula após 1 ano: A princípio a criança já pode tomar o leite de vaca após um ano de idade. Então, a indicação da continuidade da fórmula após 12 meses só deve acontecer com orientação de um pediatra ou nutricionista que acompanha o seu filho. “As fórmulas têm nutrientes diversos, mas elas também têm açúcar. Então, é preciso avaliar esse consumo. Além disso, se a criança come adequadamente, ela não depende dos nutrientes dessa fórmula para estar saudável, assim como não precisa do leite.”
Mingau: Mingau nada mais é do que leite com algum engrossante (lembra que falamos do problema deles aqui). A criança está se enchendo de leite com açúcar e não está se alimentando com todos os grupos alimentares necessários para o café. “Ainda que se use uma aveia ou outro ‘engrossante saudável’ para fazer o mingau, a criança não está sendo estimulada à mastigação, além de comer algo mais doce. Isso precisa mudar.”
Achocolatado: É um alimento rico em açúcar e desnecessário. “Se a criança já tem mais de sete anos, come bem, tem uma alimentação saudável, não come doces, ela pode tomar leite com achocolatado. Mas por que não colocar, então, cacau no leite e esquecer do açúcar – que é um hábito de adulto e não da criança?”, questiona.
Doces em geral: O açúcar só deve ser inserido na alimentação – e com equilíbrio – após 2 anos de idade. Um bolo ou biscoito caseiro podem ser oferecidos no café da manhã. “Mas lembre que um suco ou a fruta já são alimentos doces, então, não limite a refeição a alimentos adocicados. Não é necessário ter um carboidrato doce todo dia no café da manhã”, orienta Paola.
Alimentos integrais: A partir de seis meses, o alimento integral já pode ser oferecido para as crianças. E são melhores opções de alimento, pois não passaram pelo processo de industrialização que perde muitos nutrientes. Lembrando que é importante aumentar a quantidade do consumo de líquidos para que as fibras dos alimentos integrais contribuam para melhor funcionamento do intestino.
Chia: 
Pode ser inserida na alimentação das crianças, sim! Faz muito bem para a saúde. Para bebês abaixo de um ano, é importante hidrata o grão antes de oferecer.
Acompanhamento profissional: criança com baixo peso, com anemia, que se recusa a comer determinados alimentos, com restrições alimentares e outros casos específicos precisam de acompanhamento de um nutricionista. Ainda que o pediatra acompanha seu filho, o nutricionista é especializado em uma área que o médico não é, então procure ajuda deste profissional.
Bebês: Já foi falado ali em cima, mas vale a pena retomar. A partir dos seis meses, você vai oferecer fruta para a criança no lanche da manhã. No “café da manhã”, vai ser leitinho mesmo (seja materno ou fórmula). E assim vai até 1 ano de idade. Antes dos 12 meses, a criança não deve tomar leite de vaca, suco de frutas e nem consumir açúcar (o açúcar é só depois dos dois anos), então bolos, biscoitos industrializados (como o de maizena), mingau ou vitaminas estão fora de cogitação.
Industrializados: Os alimentos industrializados nunca serão tão bons quanto os naturais. Vale sempre observar os ingredientes, preferir os com menos açúcar, conservantes e outros ingredientes “estranhos”. Yakult tem muito açúcar e deve se observar a idade da criança que irá tomar. Cream cheese pode ser uma boa opção dependendo dos ingredientes, mas a nutricionista sugere o requeijão orgânico. Sobre a magic toast, é melhor variar entre pães diferentes mesmo.

Um alerta muito importante da profissional é: varie o cardápio e invista na apresentação para incluir novos alimentos. A criança não deve comer a mesma coisa todo dia, pois vai enjoar e começar a rejeitar a refeição. Precisa aprender a comer outros alimentos e os pais precisam inserir, nem que para isso, façam desenhos, usem forminhas coloridas, façam recortes divertidos etc.

Deve-se sempre oferecer carboidrato, proteína e frutas. A nutricionista dá sugestões de cardápios para o café da manhã aqui, aqui, aqui e aqui, além de diversas dicas neste post e neste post (especialmente para as crianças que não aceitam o café da manhã). Além disso, a Paola presta serviço de personalização de cardápio, considerando as necessidades da criança, a disponibilidade da família, a região de residência, o tempo disponível para estar na cozinha, a rotina e tudo mais que influencia nosso dia a dia (saiba mais aqui).

CompartilheShare on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone

Assine nossa newsletter

Cadastre-se para receber novidades e dicas no seu e-mail

Veja também

Comentários

  1. Luana disse:

    Oi minha filha tem dois anos e meio,o meu problema está sendo no café da manha ela não toma vitaminas,não gosta de bolo,só quer biscoitinho de queijo e pão francês e não abre mão do todinho que eu sei que é prejudicial à saúde dela por isso venho pedir ajuda pra que ela possa ter uma alimentação mais adequada. Quando da umas 10:00 da manha ela come frutas almoça super bem,na verdade ela come de tudo durante o dia o problema é o café da manhã,vc pode me orientar??!!

  2. cassia disse:

    minha filha tem 2 anos e se alimenta bem,gosta de tudo.estou tentando da uma alimentacao saudavel!ainda amamento e ela toma 1 a 3 mingau por dia de aveia com o leite ninho 1+ e coloco ameixa dentro do mingau.quero uma dica de mingau com que massa posso fazer??

  3. carla maria da silva bezerra disse:

    Oi minha filha tem 2 anos e 9 meses e nao q mas toma o gagau estou desisperada pq ela nao come nada de manha alem disso e nao sei o q da pra ela me ajudem ela n come pao nem todinho nao sei p q fz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

10 + 12 =

Comentários do Facebook

Assine nossa newsletter

Cadastre-se para receber novidades e dicas no seu e-mail

Me segue no snap!

Quem sou

Sou Melina Pockrandt Robaina, filha de Deus, jornalista e mãe da Manuela (6 anos) e da Ana Júlia (1 ano)

Eu sou Melina, mas pode me chamar de Mel. Moro em Curitiba (PR), sou jornalista, empresária e mãe de duas meninas maravilhosas: Manuela, 8 anos, e Ana Júlia, 3 anos. Um dos meus maiores alvos é tornar a vida mais simples e leve todos os dias.

Saiba mais

Maternidade Simples 2017 - Todos os direitos reservados