Lá em Casa

A “primeira” menstruação e outras sensações pós-parto

20 de junho de 2014

Um dos piores momentos pós-parto é a primeira menstruação. Depois de mais de uma década (no meu caso) tendo que conviver mensalmente com essa visita indesejada, a gente tem o vislumbre de uma vida livre de chico por quase um ano…. mas ela volta. E volta com tudo!

Há quem diga que isso é drama e que o sangramento pós-parto é tão ruim quanto. Mas eu acho que são coisas bem diferentes. E, de mais a mais, logo depois do nascimento do bebê tem tanta coisa acontecendo que a aquele sangramento parece não incomodar tanto. Mas logo passa, você começa a ajeitar a rotina da sua vida com o bebê  e a menstruação volta para te incomodar por uma semana.

Outra coisa ruim que tenho percebido nessas semanas pós-parto é que minha pele voltou a ficar extremamente oleosa e acneica. No início da gestação, eu tive aumento da acne, mas, da metade para o fim, a minha pele estava sensacional. Agora, a minha tendência natural voltou: oleosidade, cravos e espinhas… Triste, mas é a vida. Minha dermatologista já me deu um arsenal para tratar e prevenir – principalmente depois que contei que pretendo colocar o Mirena (DIU).

Por outro lado, existem algumas sensações pós-parto impagáveis. Para mim, a primeira coisa fantástica foi o fim instantâneo da azia. Na gravidez da Manuela, eu continuei com azia alguns dias mesmo depois que ela nasceu. Agora, com a Ana Júlia, foi imediato: saí da sala de parto livre de vez dessa queimação horrorosa – eu tive azia TODA a gravidez, e uma azia que chegava a me dar ânsia.

Outra sensação maravilhosa é a de poder ficar uma hora sem ir ao banheiro!! Não precisar fazer seus planos com base em “tem ou não tem banheiro?” é uma delícia. Eu nem me lembrava que minha bexiga tinha tanta autonomia.

No início do ano, estava com uns sete meses de gestação, ganhei ingresso para o show do Roberto Carlos (sou brega com orgulho) e precisei ir umas cinco vezes no banheiro em pouco mais de três horas. Ontem, fomos ao litoral almoçar (eu moro em Curitiba e fomos até Morretes). Foram quase duas horas de viagem de estrada mais o passeio na cidade até que chegássemos ao restaurante e eu não precisei ir correndo ao banheiro quando cheguei. Nem acreditei, rs.

É claro que, do ponto de vista físico, há muitos e muitos benefícios do pós-parto. Na gravidez da Ana Júlia, tive muitos sintomas que não tive na época da Manuela; assim, o nascimento foi uma “libertação” de muitos deles e, no fim da gravidez, eu não via a hora de acabar. Mas tem um sensação que exatamente igual e, com certeza, vai ficar por mais um tempo: a saudade da barriga!

Assine nossa newsletter

Cadastre-se para receber novidades e dicas no seu e-mail

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × um =

Assine nossa newsletter

Cadastre-se para receber novidades e dicas no seu e-mail

Quem sou

Sou Melina Pockrandt Robaina, filha de Deus, jornalista e mãe da Manuela (6 anos) e da Ana Júlia (1 ano)

Eu sou Melina, mas pode me chamar de Mel. Amo escrever, amo meu marido, amo minhas três filhas e, acima de tudo, amo Jesus. Moramos na Pensilvânia, nos EUA, e, sempre que consigo, gosto de falar sobre minhas experiências, aprendizados e desafios seja na maternidade, na vida cristã ou como imigrante.

Saiba mais

Maternidade Simples 2015 - 2024 - Todos os direitos reservados