Para Mães e Pais fim da licença-maternidade

Fim da licença-maternidade: berçário, avó ou babá

29 de janeiro de 2015

No último post, falei um pouco sobre o fim da licença-maternidade e compartilhei as orientações de duas psicólogas sobre como fazer essa transição ser mais tranquila. Uma das orientações é procure decidir com antecedência quem vai cuidar do bebê (berçário, avó ou babá) e se sinta segura com esta decisão! Isso ajudará que o processo seja menos traumático para mãe e filho.

Quem vai ficar com o bebê no fim da licença-maternidade?

Segundo as psicólogas Luciana Romano e Raquel Benazzi, do Núcleo Corujas, não há regra nem consenso sobre o que seria melhor para o bebê: escola, avós ou babá. “O mais importante é que os pais sintam segurança e confiança na escolha que fizerem e que o bebê sinta-se cuidado”, ressaltam. Elas comentam um pouco sobre cada opção:

Babá

A babá pode seguir a rotina da casa e oferecer os alimentos determinados pelos pais. Há a dificuldade de encontrar um babá que a família como um todo se adapte e sinta-se confiante com ela, sendo comum trocas de babás em pequenos períodos. Para isso, o ideal seria procurar a babá dois meses antes de retornar ao trabalho e treiná-la como a família desejar.

Caso escolha por uma babá certifique-se das referências, se tem preparo para cuidar de bebês e crianças pequenas, como ela lida com seu filho e como este se apresenta após ficar um período com ela. Observe o comportamento de seu bebê, ele diz muito sobre como se sente!

Escola

Na escolinha não haverá imprevistos para não receber seu bebê aquele dia, o que pode ocorrer se ele ficar com a babá ou um familiar. Se for uma boa escola irá ajudar muito no desenvolvimento do bebê, estimulando-o corretamente de diversas maneiras (atividades, músicas, comidas, diferentes pessoas, etc.).

Caso escolha pela escolinha visite várias antes de se decidir, observe os bebês que lá estão, as propostas, a higiene e segurança do local, conheça quem irá ficar com ele e converse com outras mães que estão sempre trocando informações.

Avós

A comunicação entre mãe e avó deve estar bem estabelecida. A avó precisa saber que os cuidados do dia a dia são diferentes dos mimos do final de semana, respeitando as opiniões e regras da mãe, pois estará realizando o papel de cuidadora, tomando cuidado para não oferecer uma educação divergente. Assim, a avó auxiliará no desenvolvimento do seu neto, tanto psíquico quanto físico.

Aqui em casa, as duas pequenas foram para a escolinha. E na sua casa, como foi ou como será?

Assine nossa newsletter

Cadastre-se para receber novidades e dicas no seu e-mail

Comentários

  1. jana disse:

    Coração nao mão .. 6meses minha pequena Eloisa terà que ir para escolinha… mais tambem acredito ser a melhor opção… otimo texto me fortaleceu ainda mais ..obrigada!!

  2. Liziane Sudão disse:

    Oi Mel, hoje foi o primeiro dia do Noah na escolinha. Ele está com 9 meses e mama formula desde 40 dias, pois meu leite secou

    1. Maternidade Simples disse:

      Que ótimo Lizi!!!

  3. Tati carreiro disse:

    Minha bebê esta com 1 mês e com 4 eu voltarei ao trabalho. Ela vai pra creche pois não tenho ninguém pra ficar com ela. Meu coração ta apertado e um sentimento de medo, insegurança e culpa as vezes invadem meu coração.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

20 + cinco =

Assine nossa newsletter

Cadastre-se para receber novidades e dicas no seu e-mail

Quem Sou

Sou Melina Pockrandt Robaina, filha de Deus, jornalista e mãe da Manuela (6 anos) e da Ana Júlia (1 ano)

Eu sou Melina, mas pode me chamar de Mel. Amo escrever, amo meu marido, amo minhas três filhas e, acima de tudo, amo Jesus. Moramos na Pensilvânia, nos EUA, e, sempre que consigo, gosto de falar sobre minhas experiências, aprendizados e desafios seja na maternidade, na vida cristã ou como imigrante.

Saiba mais

Maternidade Simples 2015 - 2024 - Todos os direitos reservados