Durante a Gravidez incompetência istmo cervical

Eu tenho incompetência istmo-cervical

9 de setembro de 2010

Eu tenho incompetência istmo cervical  (IIC) e, assim que fui diagnosticada, fiz como 90% das mulheres desse mundo: corri para o Google para descobrir mais sobre essa doença. Então, conto a minha experiência que pode vir a ajudar outras pessoas!

Confira o vídeo contando sobre a minha experiência com a incompetência istmo cervical

https://www.youtube.com/watch?v=qYqylpooej0&t=2s

Leia também o post atualizado com a participação do especialista
Incompetência istmo cervical: palavra do especialista

Por definição, a incompetência istmo cervical é a incapacidade do útero de manter uma gestação até o fim e pode ser congênita ou adquirida. No meu caso, é congênito, já nasci assim! Comigo, o que aconteceu foi que meu colo do útero começou a dilatar, a abrir antes da hora.

Segundo o que li, a incompetência istmo cervical não é fácil de ser diagnosticada. Geralmente, descobre-se que a mulher tem o problema depois que ela já perdeu um filho.

Aliás, a incompetência istmo-cervical está em segundo lugar na lista de fatores que mais causam abortos espontâneos, segundo artigo publicado na Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia. Em outro texto, estima-se que 35% das perdas gestacionais sejam causadas pela IIC

Depois do aborto e diagnóstico, o que se faz é prevenir em uma próxima gestação, com uma cirurgia chamada circlagem/ cerclagem. De forma grosseira, são dados alguns pontos no útero para manter ele fechado. O ideal é que o procedimento seja realizado entre a 13ª e a 18ª semana, não ultrapassando a 20ª. Os pontos da cerclagem serão tirados entre a 36ª e 38ª semana, para que a mulher possa ainda ter um parto normal.

A cerclagem também pode ser feita de emergência, se o problema for diagnosticado durante a gestação, como foi o meu caso. Acharam o problema, milagrosamente, em uma ecografia de rotina, com 25 semanas! Logo após o exame, em menos de meia hora, liguei para a minha obstetra e a médica responsável pela minha ecografia já tinha conversado com ela e a cirurgia já estava marcada para o dia seguinte, cedo.

Com todo o cenário, fiquei preocupada, nervosa, mas o procedimento é simples. Não é necessário fazer corte, tudo é feito lá por baixo mesmo. (Pelo menos, o meu foi assim). O pós-cirúrgico foi meio doído. Senti um pouco de cólica e dificuldade/ dor para fazer xixi.

Depois disso, repouso absoluto. Definido pele minha obstetra como “orelha no travesseiro”. “E se for ao banheiro, leve o travesseiro na orelha para voltar logo”. Foi meio assustador, confesso, e um esforço tremendo ficar deitada o dia inteiro. Mas que foi recompensado pela Manuela.

Logo após o procedimento, fiquei um mês deitada MESMO! Depois desse período, minha obstetra liberou que eu ficasse sentada, mas – no máximo – por duas horas. E quando eu passava desse tempo ou se eu andava um pouquinho a mais do que podia, já sentia bastante cólica. Era um sinal do meu corpo para eu maneirar e voltar para o repouso.

Durante esse período, precisei também fazer tratamento com uma cápsula de progesterona. Se eu não me engano, eram duas por dia.

Quando eu estava com 33 semanas, eu fiz o meu chá de bebê. Foi em um domingo. Acabei ficando bastante tempo sentada, além de ter ficado um tempo em pé organizando as coisas e arrumando o salão para a festa. Se isso não bastasse, no dia anterior tinha passeado um pouco no shopping com a minha irmã e ido no churrasco de fim de ano da empresa em que trabalhava. Claro, que tudo fiz com moderação, mas acho que foi muito esforço para um final de semana só: a bolsa rompeu da madrugada de domingo para segunda!

Felizmente, a Manuela já era um bebê grande, nasceu saudável e ficou apenas uma semana na UTI. Hoje, é linda, forte, inteligente e ninguém diz que ela nasceu prematura!

Pelo que me explicaram, nas minhas próximas gestações eu vou precisar fazer a cerclagem no início, mas não precisarei ficar em repouso absoluto. E posso, sim, ter uma gravidez normal e tranquila.

Assine nossa newsletter

Cadastre-se para receber novidades e dicas no seu e-mail

Veja também

Comentários

  1. Luciana disse:

    Infelizmente não tive a mesma alegria, estava trabalhando quando senti uma cólica e um pequeno sangramento, fui ao hospital no qual não pude sair. Tive que ficar de repouso absoluto, não levantava nem para ir ao banheiro. Estava com 20 semanas de gestação, fiquei uma semana com dor, sagrando muito, eu estava grávida de gêmeos, um casal, tudo em mim estava parando e os médicos ficaram com medo de uma infecção, no dia 16/02/17 decidiram que precisavam fazer a indução do parto por medo de uma infecção em mim, meus bebês ainda não estavam prontos para sobreviver… Hoje sei que para uma nova gravidez preciso fazer uma cerclagem, infelizmente descobri da pior forma.

    1. Melina disse:

      Sinto muito por sua experiência, Luciana. Que Deus possa abençoar sua próxima gravidez!

  2. Gessyka Karina disse:

    infelizmente, não tive a chance de fazer a cerclagem de emergência no dia 24/08/2018 acordei e estava tudo bem, mas quando foi a tarde apareceu uma sangramento, corri para a emergência eu já estava com 5cm de dilatação e bolsa protusa, foi horrível finquei internada deitada e no dia 25/08/2018 minha bolsa estourou, e minha bb nasceu de parto normal mas não resistiu. meu mundo desabou ainda estou me recuperando está sendo bastante doloroso.

    1. Melina disse:

      Sinto muito, Gessyka. Imagino que deve estar sendo bem dolorido. Oro para que Deus conforte seu coração e, em breve, você possa ter um bebezinho :)

  3. Alexandra disse:

    Fiz cerclagem no dia 10 de setembro, com 22 semanas, descobrimos devido a um pequeno sangramento que tive, quando a médica fez o toque estava com 3 dedos de dilatação e bolsa protusa.
    Todos os médicos disse que foi um verdadeiro milagre pois, corria o risco de perder fazendo ou não a cerclagem devido a idade gestacional estar avançada para o procedimento.
    Graças a Deus correu tudo bem e a bebê está bem, preciso repousar mas posso andar moderadamente para não dar trombose.
    Agora estou preocupada em como e quando se tira os pontos, se é melhor parto Cesárea ou normal. Mas creio que já deu tudo certo.

    1. Melina disse:

      Sim! Vai dar tudo certo!
      Conheço pessoas que tiraram os pontos e tiveram parto normal bem rápido e fácil. Outras tiraram para fazer cesárea.
      Veja o que você se sente mais segura :)

  4. Letícia aguiar disse:

    Sinto mto por sua perda, sei exatamente o que está passando, eu tbm perdi minha filha,quando fui diagnosticada já estava com 5 meses de gestação, minha filha nasceu de parto normal só que tbm não resistiu nasceu morta, eu sei que não há palavras nesse momento que possa fazer vc se sentir melhor, mais posso te dizer que a dor ela não passa por inteiro, ela diminui mais não passa, vc aprende a conviver com ela, mais a sdd essa sim fica mta intensidade, vai fazer dois anos que perdi a minha e me lembro de cada detalhe daquele dia como se fosse hj, mais mtos dizem que isso passa qdo arrumamos outro filho, eu ainda não tive outro mais acho que não fazer que eu me esqueça da minha pequena, mais vc vai sobreviver essa fase, vc mesmo sem querer vai se tornar uma mulher mais forte.

  5. Thyanne disse:

    Oi, tive um aborto a 3 anos , mas nenhum médico me falou oque poderia ter causado o aborto…
    Dia 25/09, acordei a tarde.com dor e logo depois tive um sangramento, fui para o hospital mas já cheguei lá perdendo.. me internaram e de madrugada 01:10 da manhã meu bebê nasceu com apenas 19semanas e 5 dias .. o médico que estava de plantão me falou que a hipótese deles é que eu tinha INCOMPETÊNCIA ISTIMICO CERVICAL, mandou eu procurar um ginecologista e fazer o exame pra vê se foi isso realmente a causa dos meus 2 abortos … Vou esperar os 15 dias passarem e irei procurar um bom ginecologista e fazer todos os exames. Não quero passar por isso de novo…
    PS: EU SEMPRE IA AO HOSPITAL COM DOR, RELATAVA QUE JA TIVE ABORTO, MAS OS MÉDICOS SO ESCUTAVAM O CORAÇÃO DO MEU BABY E ME MANDAVAM PRA CASA, NUNCA FALAVAM OQUE ERA .. 😓😭, HOJE ESTOU AQII MAIS UM VEZ COM A BARRIGA VAZIA E CHORANDO QUERENDO MEU FILHO.
    MAS CREIO QUE DA PRÓXIMA TUDO SERA DIFERENTE E MEU MILAGRE , MEU ARCO IRIS IRA CHEGAR. 😍

    1. Melina disse:

      Sinto muito por sua perda!! Que Deus console o seu coração. Eu creio que em breve o seu milagre vai chegar sim!!! :)

  6. Luciana nogueira disse:

    À 3 anos tive um aborto, estava com 16 semanas. Ninguém nunca soube me dizer o motivo, minha bebê estava perfeita. Hoje estou gravida novamente com 17 semanas, e a dois dias descobri que tenho incompetência istimo cervical. Faço a cerclagem daqui a 2 dias. Espero que dê tudo certo, e eu consiga ter meu Arthur bem e saudável.

    1. Melina disse:

      Vai sim!! Deus abençoe vocês em todo esse processo :)

  7. Camila disse:

    Tenho iic congênito, descobri na minha primeira gravidez em uma ultrassom quando estava com 22 semanas, o médico me orientou a ficar de repouso, pois segundo ele não seria possivel fazer a cirurgia, tomei muito cuidado pois nao tenho uma trompa e um ovário e é bem dificil eu engravidar. Fiquei de repouso e por nilagre de Deus que cuidou de mim e da minha família em todos os momentos, minha filha nasceu com 39 semanas e 3 dias por partp Cesária.
    A todas que tem o iic eu peço que não percam a fé em Deus e oro para que todas xibsigam realizar o sonho da maternidade.

  8. Raiane sobral disse:

    Eu tbem infelizmente nao tive a sua sorte.
    Sou casada a 10 anos e à 6 tentava engravidar, fiz tratamento durante um tempo mas nada acontecia, ai decidir da uma parada com os tratamentos pois meu psicológico ja n estava tão legal, daí com mais ou menos 1 ano aconteceu agora no início de 2018 mas especificamente em março, mas só decobri em maio, ja com 1 mês e meio.
    Venci um descolamento de placenta e com 22 semanas em uma consulta de rotina de pré natal, meu médico detectou q meu utero estava dilatando e ja me mandou para o hospital, isso aconteceu dia 30 de agosto.
    Chegando ao hospital o médico viu q n seria
    mais possível fazer a cerclagem, ai começou a minha saga, fiquem internada nesse hospital 21 dias sofrendo uma pressão psicológica enorme, pois os médicos n te falam nada de positivo.
    Eu estava perdendo liquido mas eles n podiam fazer meu parto pois n tinha vaga na HTIN em minha cidade, me colocaram na regulação pra ver se surgia uma vaga em salvador mas nada de essa vaga surgir, ate q no dia 20 de setembro a médica veio me dizer q eles n poderiam fazer mais nada por mim, pois eu estava completamente sem líquido e q sem líquido a bb n sobreviveria e q sem a vaga eles n poderiam fazer meu parto.(isso ja com 25 semanas)
    Daí eu me desesperei mais ainda, nisso minha irmã estava comigo de acompanhante, ai ela logou pra minha cunhada contando o q estava acontecendo, ai minha cunhada ja chamou meu marido pra conversar e decidiram me tirar do hospital e me levar pra Brasília.
    Saímos do hospital e ja fomos direto pra Brasília, ja cheguei no hospital em trabalho de parto, chegamos la uma 22:30 e quando foi as 03:16 minha princesa nasceu de parto normal.
    Ela ja foi direto pra UTIN, passou a semana toda bem, mas quando foi na terça feira da outra semana ela teve uma hemorragia seria de pulmão, ate então os médicos estavam tentando coter mas no dia seguinte fizeram varios exames e o quadro dela piorou muito era gravíssimo e so um milagre pra mante-la viva.
    Ai quando foi as 20 horas do dia 03 de outubro minha pequena se foi e eu ainda não consigo acreditar meu coração está destruido! Ainda ficamos com ela 12 dias onde pude sentir o maior e mais puro amor do mundo.
    Estou tentando seguir em frente! Desejo a todas essas maezinhas de UTI muita força e muita fé em Deus. Deus abençoe vcs😙

    1. Melina disse:

      Que Deus console o seu coração e possa te encher de forças para continuar! Que Ele abençoe sua próxima gravidez e que tudo possa correr da melhor forma possível. <3

  9. Amanda CRISTINNE RODRIGUES SOUZA disse:

    Tbm tenho IIC, tive um aborto espontâneo a uns 7 anos atrás (sem causa) a 5 anos tive um parto prematuro de 26 semanas, como já cheguei na maternidade com 10 cm de dilatação ñ tinha como fazer a cerclagem, graças a Deus meu filho nasceu bem e cresce forte e saudável sem nenhuma sequela. Estou esperando meu segundo filho (hj estou com 18 semanas e 2 dias) qndo tive meu primeiro filho me falaram q na próxima gestação precisaria fazer a cerclagem, e fiz de forma programada pela minha GO com 14 semanas e 5 dias e graças a Deus ocorreu tudo bem e foi um sucesso. Ñ tive nenhum sintoma pós operatório, agr dia 01 de novembro fará 1 mês q fiz minha cerclagem, e retornarei na minha médica para seguir com o pré natal! Está tudo indo bem🙏🏼

    1. Melina disse:

      Que história linda. Deus é bom demais! Que Ele abençoe sua gestação <3

  10. Sabrina Maidana disse:

    Meu nome é Sabrina, há 6 anos tento engravidar, fazendo vários tratamentos, devido estes fui passando do estado gordinha à obesidade mórbida, os tratamentos já não respondiam e eu já não tinha nenhuma saúde para ter um bebê, foi então que decidimos meu esposo e eu que a cirurgia bariátrica era o melhor caminho, ao que em 17/11/17 junto a uma equipe maravilhosa fiz o procedimento que foi um sucesso. Em 05 de agosto de 18 descobri que havia chegado o momento mais esperado da minha vida, sim minha vida, pois ser mãe era meu sonho desde criança!
    Muita alegria, satisfação e agradecimento, uma gestação um pouco milindrosa, pois meu organismo estava fraco ainda se adaptando a nova dinâmica, mas estava indo tudo bem, contudo sentia dores, corrimento, mas minha GO dizia ser tudo normal, resolvi não encanar. Minha irmã do meio Silvana tem uma linda história a qual resumirei, após 4 perdas dois lindos filhos, ela tem incompetência cervical, e eu na quinta e sexta gestação estive com ela em todos os momentos, ao que me tornei quase uma especialista, foram tantas internações, ultrassom, cardiotocografia enfim….eu lá! Desde o início de minha gestação comentava com minha GO que me tranquilizou dizendo que não era hereditário, ótimo pensei!
    Mas…..há sete dias um corrimento como catarro, aos poucos foi aumentando, mas pelo telefone minha GO disse ser corrimento e que era normal, preocupante só sangramento eu então fiquei em Paz, mas na última terça feira pela manhã o “corrimento” aumentou e com sangue, meu esposo e eu fomos ao PA, ao chegar o obstetra de plantão me atendeu, fez a ultrassonografia bebê tudo bem, ila normal, ufaaaa menos mal, mas quando foi me examinar nem fez exame de toque, falou coisas horríveis e por fim disse que eu estava dilatando e a bolsa saindo, eu já conhecia o enredo, só chorava, liguei para minha médica, que prontamente veio me ver, ao examiy ela detectou 5 dedos de dilatação, 18 semana, e bolsa um pouco avançada, cerclagem de emergência, e agora repouso e oração eu creio venceremos em nome de Jesus!
    As mamães que como eu estiverem neste barco eu aconselho, sei o quanto é difícil, mas hora de clamar e confiar em Deus Ele acima de tudo e de todos, cuidará do melhor para nós!
    Boa noite!

    1. Melina disse:

      Deus abençoe, Sabrina!! Que o Senhor cuide de vocês :) <3

  11. Kenia disse:

    Também tenho incompetência istmo cervical, meu ginecologista já deu o diagnóstico na primeira gravidez e me encaminhou para o hospital para fazer a cerclagem,fui atendida e o médico disse que eu não tinha nada, meus exames deu tudo certo e que era preciso só fazer repouso que o colo fecharia. Fui pra casa e um dia depois tive aborto espontâneo. Engravidei novamente e aconteceu a mesma coisa, os médicos disseram que eu não tinha nada e tive outro aborto. Na terceira gravides meu ginecologista não estava entendo mais nada, então fiz uma ultrassom e contei para o médico, então ele falou que eu tenho sim incompetência Istmo cervical e que ele mesmo faria isso no hospital onde ele atendia. Foi um anjo mainha vida. Minha filha nasceu com 32 semanas, perfeita e não precisou UTI. Minha segunda gravidez foi a mesma coisa, nasceu prematura de 34 semanas. As duas nasceu fortes e nenhuma precisou de UTI
    Graças a Deus

  12. Keziah Maffra disse:

    Olá me chamo keziah e tenho 32 anos.
    Tenho dois filhos e ambos os partos foram prematuros, na primeira gestação meu filho nasceu com 28 semanas, não deram nada nós exames , médico nenhum diagnóstico o que eu tinha , como ocorreu, estava no serviço quando sai e fui fazer uma consulta de rotina na Go, quando fiz o exame de toque a medica pediu pra eu ir direto a maternidade estava com 3 cm de dilatação e não sentia dor nem nada, fui pra casa, ainda fiquei em casa e decidir ir no dia seguinte, quando cheguei lá, já internei e fiquei 1 mês tomando remédios para segurar o bebê e fortalecer o pulmão. Na manhã do dia 19/03/2009 eu ficarei mais 4 cm então resolveram me levar pro bloco, no bloco passei na mão de 3 obstetras que diagnosticaram óbito, ouvi de longe minha mãe dizer, de Deus veio pra Deus irá voltar, quando resolveram fazer o parto e pra surpresa de todos meu bebê nasceu e veio ao mundo ficando pra graça de Deus 9 dias na incubadora. Teve apenas equitericia .
    Hj com 9 anos é uma criança saudável. Meu próximo parto haviam me dito que seria preciso fazer uma cerclagem mas quando descobri já estava com 4 meses e não havia mais tempo, então afastei do serviço e foram 1 mês deitada na cama sem levantar pro meu bebê não vir a óbito, quando completei 5 meses senti uma for muito forte fui a maternidade próxima a minha casa e lá já me internaram, com a dificuldade de conseguir uma ctineo para bebê pig fui parar de um hospital ao outro , o balanço da ambulância era crucial , então nessa luta cheguei ao 6 mês a técnica de enfermagem que estava no plantão dormiu e esqueceu de me dar o comprimido que inibia minha dilatação , então meu filho apontou para vir ao mundo, 3 horas depois que eu havia ficado sem o remédio meu útero dilatou de uma vez e na própria enfermaria eu comecei em trabalho de parto, tive um anjo que cuidou de mim , um médico abençoado por Deus que improvisou uma cadeira de roda e me levou ao bloco, Rafael nasceu com 24 semanas .
    Ficou internado 59 dias e passou por vários problemas de saturação , equitericia, e audição, hoje pra graça de Deus é perfeito e uma dádiva de Deus. Até hj médico nenhum disse o que eu tive , eatou grávida novamente e estou com 8 semanas e eu msm procurei uma médica diferenciada especializada em trombofilia e incompetência cervical. Acima dela está o senhor Jesus , será minha última gravidez , e pra glória de Deus , eu creio na promessa.

    1. Melina disse:

      Que lindas as histórias dessas crianças. Com certeza, Deus tem planos incríveis para elas. Que sejam abençoadas :D

  13. Heloisa da SILVEIRA do NASCIMENTO disse:

    Oi lendo a estória de vocês vim aqui para contar a minha meninas quem tiver este problema não se preocupe a cerclagem e um procedimento simples eu tive três perdas gestacionais perdi dois meninos e uma menina tosdos com 6 meses de gestação porque não sabia do problema hoje tenho dois filhos lindos e saudável levadinho com muita saúde e se Deus permitir ainda terei uma menina eu fiz á cerclagem e recomendo não deixe que o medo a trapalhe o sonho de vocês ser mãe eu poderia entra aqui e contar uma estória muito triste que foi a minha antes de ter os meus filhos mas não quero dizer para quem for fazer que faça e faça com de que tudo Dar a muito sérto um filho e uma bênção na nossa vida eu era triste tinha um casamento que por mas que meu marido me demostrace amor eu sentia um pouco vasia depôs que eu tive meus filhos nada mas me abate sou feliz gosto de me cuidar sou mulher e mãe não desiste do sonho de ser mãe ok bjs que todos fiquem com Deus

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentários do Facebook

Assine nossa newsletter

Cadastre-se para receber novidades e dicas no seu e-mail

Quem sou

Sou Melina Pockrandt Robaina, filha de Deus, jornalista e mãe da Manuela (6 anos) e da Ana Júlia (1 ano)

Eu sou Melina, mas pode me chamar de Mel. Moro em Curitiba (PR), sou jornalista, empresária e mãe de duas meninas maravilhosas: Manuela, 9 anos, e Ana Júlia, 4 anos. Um dos meus maiores alvos é tornar a vida mais simples e leve todos os dias.

Saiba mais

Maternidade Simples 2017 - Todos os direitos reservados