Lá em Casa minha filha colou na prova

O dia em que minha filha colou na prova

13 de abril de 2016

Eis que chegou o dia em que minha filha colou na prova.

Manuela teve prova de inglês. Chegou em casa e, na maior ingenuidade, falou: “- Tinha uma palavra que eu não sabia e daí eu olhei no livro. Mas foi só uma”.

Quando ela disse que “foi só uma”, eu percebi que ela sabia muito bem que tinha feito algo errado.

Então, o diálogo se seguiu:

– Mas, filha, podia olhar no livro?

– A professora não disse nada.

– Mas quando tem prova, pode olhar no livro?

– Não.

– Então, você não podia olhar. Isso é errado.

– É trapaça?

– Sim. É colar. É você sabe que não pode, né?

– Sim.

Não gritei. Não deixei de castigo. Não dei bronca. Esse nosso papo foi calmo e tranquilo. Porque, afinal, ela veio contar espontaneamente e isso deve de alguma forma ser recompensado.

Mas o erro não pode ficar sem correção. Entretanto, deve ser uma correção coerente. Portanto, disse que ela teria que contar o que fez para a professora de inglês. Talvez ela perdesse nota, mas era o certo a se fazer.

Passaram alguns dias até que encontrasse a teacher novamente. Mas quando encontrou, contou o que fez. E, segundo a Manuela , a professora “falou, falou, falou” enquanto ela “ouviu, ouviu, ouviu” (suas palavras hahahaha). Ou seja, rolou um sermão.  Mas a professora disse que ainda iria ver em relação à nota.

Nesse dia, fiz questão de dizer para a Manuela que estava orgulhosa dela. Orgulhosa porque ela me contou o que fez de errado mesmo correndo o risco de ficar de castigo. Orgulhosa porque ela se dispôs a reparar o erro seguindo minha orientação de falar com a professora, mesmo que pudesse passar vergonha e perder nota. Orgulhosa porque as pessoas boas não são aquelas que nunca erram, mas aquelas que erram e se dispõem a consertar seu erro.

Ontem, 10 dias depois, ela teve outra prova de inglês. Perguntei como foi e ela disse “até que foi fácil e eu não trapaceei!”

Assine nossa newsletter

Cadastre-se para receber novidades e dicas no seu e-mail

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

20 + 15 =

Assine nossa newsletter

Cadastre-se para receber novidades e dicas no seu e-mail

Quem Sou

Sou Melina Pockrandt Robaina, filha de Deus, jornalista e mãe da Manuela (6 anos) e da Ana Júlia (1 ano)

Eu sou Melina, mas pode me chamar de Mel. Amo escrever, amo meu marido, amo minhas três filhas e, acima de tudo, amo Jesus. Moramos na Pensilvânia, nos EUA, e, sempre que consigo, gosto de falar sobre minhas experiências, aprendizados e desafios seja na maternidade, na vida cristã ou como imigrante.

Saiba mais

Maternidade Simples 2015 - 2024 - Todos os direitos reservados