Durante a Gravidez descolamento de placenta

O que é descolamento de placenta?

22 de junho de 2017

Este é um texto de autoria do ginecologista e obstetra Bruno Jacob sobre descolamento de placenta. Você também pode acompanhar outras informações muito bacanas que ele publica no Instagram e no Facebook.

A placenta é o principal órgão na gravidez (sim, ela é um órgão!). Ela faz toda a nutrição daquele pequeno embrião que está iniciando seu desenvolvimento até se tornar um feto e nascer como um recém-nascido grande e saudável.

A placenta tem a forma de um disco, é formada por vários cotilédones. Ela possui uma parte que fica aderida ao útero (parte materna) e uma parte que contém a membrana amniótica, onde fica o líquido e o feto (parte fetal).

A face materna faz todas as trocas de nutrientes da circulação fetal com a circulação materna, além do importante suprimento de oxigênio, necessário para que o bebê se mantenha vivo.

Logo, não é muito difícil entender quais as repercussões que o descolamento da placenta (seguido pela interrupção de suprimento) tem sobre o feto dentro do útero.

O descolamento pode ser de uma área pequena da placenta, levando a uma restrição de crescimento fetal, ou pode ocorrer de maneira abrupta e em grande extensão, causando desfechos severos como óbito fetal.

Mas como saber se minha placenta descolou?

Os sinais são facilmente perceptíveis e chamam a atenção do casal, que na maioria das vezes procuram prontamente o pronto socorro.

– Sangramento vaginal importante.

– Fortes dores abdominais.

– Contração uterino intensa e constante.

– Diminuição dos movimentos fetais.

Mas nem sempre os sintomas são acentuados dessa maneira, podendo em alguns casos, ocorrer de maneira mais silenciosa.

E quais os fatores de risco para ter esse descolamento?

– Paciente com descolamentos em gestações anteriores

– Hipertensão crônica, hipertensão gestacional ou pré-eclâmpsia

– Desordens de coagulação

– Rotura da bolsa

– Aumento de líquido amniótico

– Tiveram sangramento prévio na gestação

– Gestação gemelar

– Trauma no abdome

– Tabagismo

– Anomalia uterina

O que fazer em caso de descolamento de placenta?

A conduta é diferente em relação à área de descolamento, semanas de gestação, viabilidade fetal e bem estar materno. Ou seja, uma mulher com 38 semanas de idade gestacional, com feto vivo e grande área de descolamento deve ser feito o parto mais rápido possível. Já uma paciente de 20 semanas, com pequena área de descolamento deve ser observada e acompanhada para avaliar o bem estar e desenvolvimento fetal.

O importante é sempre ficar alerta aos sinais e sintomas de risco na gravidez. Zelo nunca é demais.

Assine nossa newsletter

Cadastre-se para receber novidades e dicas no seu e-mail

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

15 + treze =

Assine nossa newsletter

Cadastre-se para receber novidades e dicas no seu e-mail

Quem sou

Sou Melina Pockrandt Robaina, filha de Deus, jornalista e mãe da Manuela (6 anos) e da Ana Júlia (1 ano)

Eu sou Melina, mas pode me chamar de Mel. Amo escrever, amo meu marido, amo minhas três filhas e, acima de tudo, amo Jesus. Moramos na Pensilvânia, nos EUA, e, sempre que consigo, gosto de falar sobre minhas experiências, aprendizados e desafios seja na maternidade, na vida cristã ou como imigrante.

Saiba mais

Maternidade Simples 2015 - 2024 - Todos os direitos reservados