Para Mães e Pais

Picada de abelha: o que fazer?

5 de Janeiro de 2018

Eu nunca vou esquecer da minha primeira experiência com picada de abelha. Fui eu mesma! Criança, lendo gibi na minha cama e encontrei um abelha debaixo das cobertas. Gritei desesperada e meu paio veio correndo perguntando se minha irmã tinha me batido.

Ouvi esse mesmo grito desesperado na semana passada. Estávamos prontos para ir viajar, últimos segundos antes de ir para o carro e a Manuela sentou em uma abelha que estava no sofá. Ficamos meio sem saber o que fazer por alguns segundos quando lembrei das orientações da nossa dermatopediatra Dra. Juliana Loyola Presa na época que a Ana Júlia pisou em uma abelha.

Quer saber quais são?

Retire o ferrão da abelha

É muito importante retirar o ferrão, pois enquanto ele está na pele, continua liberando substâncias tóxicas e causando dor e ardência. Não use pinça, pois pode “quebrar” o ferrão com parte dele dentro do corpo. O ideal é fazer algo como uma raspagem, com um cartão ou mesmo com a unha. Você vai “raspando” o objeto na pele para que o ferrão saia pela pressão.

Limpe e use gelo no local

Após retira o ferrão, lave a área com água e sabão. É comum que o local inche ou fique dolorido. Fazer uma compressa fria ou aplicar gelo no local ajudará que esses sintomas passem mais rápido. É comum também haver coceira. Eu utilizei pomada antialérgica com a Manuela – uma já indicada pelo médico. Converse com o seu!

Fique atento aos sintomas

Algumas pessoas são alérgicas ao veneno da abelha. Portanto, é muito importante ficar atento e observar se o paciente apresenta mal-estar generalizado, tontura, enjoo, calafrio, dor de cabeça, inchaço nas pálpebras ou lábios, ou até mesmo dor de barriga e falta de ar. Esses sintomas podem aparecer em alguns minutos após a picada. Nesse caso, leve o paciente ao médico imediatamente!

Crianças

Vale lembrar que confortar a criança e distraí-la após o fato ajuda muito. No caso da Manuela, ela se acalmou em 10 minutos e parou de chorar. Viajamos seis horas de carro (com ela sentada sobre a picada) e não houve mais reclamação nenhuma. Nem lembrávamos mais do ocorrido!

Assine nossa newsletter

Cadastre-se para receber novidades e dicas no seu e-mail

Veja também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentários do Facebook

PUBLICIDADE

Assine nossa newsletter

Cadastre-se para receber novidades e dicas no seu e-mail

Quem sou

Sou Melina Pockrandt Robaina, filha de Deus, jornalista e mãe da Manuela (6 anos) e da Ana Júlia (1 ano)

Eu sou Melina, mas pode me chamar de Mel. Moro em Curitiba (PR), sou jornalista, empresária e mãe de duas meninas maravilhosas: Manuela, 8 anos, e Ana Júlia, 3 anos. Um dos meus maiores alvos é tornar a vida mais simples e leve todos os dias.

Saiba mais

Maternidade Simples 2017 - Todos os direitos reservados