Para Mães e Pais erros no desfralde sem estresse

Desfralde sem estresse

21 de novembro de 2016

Eu já contei por aqui como foi o desfralde da Ana Júlia (inclusive os erros que cometi no começo). Hoje, considero minha caçula, aos dois anos e meio, definitivamente livre das fraldas durante o dia, mas sei que essa fase pode ser muito complicada. Por isso, compartilho as dicas para um desfralde sem estresse da neuropsicopedagoga Viviani Zumpano, que integra a equipe interdisciplinar da NeuroKinder, clínica dedicada ao neurodesenvolvimento infantil.

Segundo a especialista, o processo de desfralde só deve ser feito quando os pais estiverem seguros e conscientes que os escapes acidentais vão ocorrer. É preciso estar preparado para essas situações, senão a gente acaba estressando e traumatizando a criança. Ela responde a dez questões sobre o tema:

QUAL É A IDADE CERTA PARA UM DESFRALDE SEM ESTRESSE?

O ideal é começar o processo a partir dos 18 meses para que a gente tenha mais chances de um desfralde sem estresse. A criança nessa fase já está cognitivamente mais desenvolvida para compreender o processo. Antes disso, o sofrimento é maior, tanto para a criança, quanto para os pais.

A CRIANÇA PRECISA FALAR PARA DESFRALDAR?

Depende. O ideal é que o desfralde seja feito quando a criança já fale algumas palavras para facilitar o processo. Mas não é uma condição mandatória para começar, pois é possível tirar as fraldas de bebês com atraso na fala.

A ESCOLA PODE RECUSAR A CRIANÇA PORQUE ELA AINDA USA FRALDAS?

Vemos muitos casos de escolas que não aceitam crianças maiores de dois anos que ainda usam fraldas. Isso não é correto. Na verdade, a escola deve ser uma facilitadora do processo do desfralde, aceitando essa criança e auxiliando-a. A criança na escola vai aprender por meio do outro, ou seja, ao ver os colegas usarem o banheiro, ela irá observar e imitar.

DEVO COMEÇAR COM O PENICO OU COM O ASSENTO REDUTOR PARA O VASO?

Para começar, o ideal é usar um penico ou privadinha. É importante que a mãe ou o cuidador realize os rituais, como jogar o xixi no vaso sanitário, dar descarga, limpar-se com o papel higiênico e lavar as mãos. Quando a criança já estiver bem segura no uso do penico, os pais podem incentivar o uso do vaso sanitário com o adaptador. Dica: deixe a criança ver os pais usarem o banheiro, isso é um ótimo incentivo e modelo de imitação.

COMO FAZER NAS SAÍDAS DE CASA?

Ninguém precisa parar de sair por causa do desfralde. A recomendação é usar a fralda e levar a criança ao banheiro várias vezes. Isso evita frustração ou situações embaraçosas para a criança e para os pais quando vão a lugares públicos.

QUEM VEM PRIMEIRO, O NÚMERO 1 OU O NÚMERO 2?

O ideal sempre é começar pelo xixi. O controle da urina é mais fácil para a criança. Depois, os pais podem começar o processo das fezes, que pode levar mais tempo.

TEM DIFERENÇA NO DESFRALDE DE MENINOS E MENINAS?

Sim, há diferença. Os meninos costumam levar mais tempo para desfraldar, por conta de uma pequena diferença nos marcos de desenvolvimento entre meninos e meninas. Mas, vale lembrar que o processo de desfralde é único, pode variar de uma criança para outra, de um filho para o outro, independente do sexo.

ELOGIAR OU NÃO?

Elogiar sempre. A criança precisa ser elogiada e incentivada sempre que conquistar algo importante. Ela vai entender que está fazendo algo bom e tende a repetir o processo, e isso vale para qualquer atividade, incluindo o desfralde.

COMO LIDAR COM OS ESCAPES?

De forma natural, jamais brigar ou xingar a criança por causa de um escape. Muitas podem chorar e ficar ansiosas quando fazem xixi em lugares inapropriados. Cabe aos pais acalmar, explicar que isso acontece, limpar e incentivar o uso do penico ou do banheiro. Aqui fica uma dica valiosa: a criança não tem a noção de usar o banheiro quando tem vontade, por isso, no processo de desfralde é preciso oferecer o penico várias vezes por dia ou a ida ao banheiro várias vezes também, até a criança perceber esse movimento para imitar.

QUANDO TIRAR A FRALDA NOTURNA?

Este é o último passo e pode demorar bastante tempo. Somente depois do processo diurno estar firmado, ou seja, sem escapes, é que os pais podem começar a retirada da fralda noturna. Porém, precisarão levantar de três a quatro vezes por noite para levar a criança ao banheiro no início, para criar o que chamamos de autorregulação. Depois de um tempo, a criança começará a ir sozinha. Ou seja, mesmo que de dia tenha acontecido um desfralde sem estresse, precisamos estar preparados para o desfralde noturno.

Dicas de produtos para ajudar:

Troninho ou redutor de assento com apoio para os pés

Clique na imagem para saber mais e comprar.

Política de transparência: todas as vendas pelo link são comissionadas :)

troninho musical burigotto

O mais legal desse é que vira degrau para usar direto no vaso depois! E a parte interna sai para ficar mais fácil de “dar tchau” para o xixi e cocô e limpar.

 

redutor de assento com escada

Esse dá autonomia, apoio e segurança para a criança e já vai tudo para o vaso!

Assine nossa newsletter

Cadastre-se para receber novidades e dicas no seu e-mail

Comentários

  1. Ana paula disse:

    ADORO seus posts! :)
    Estou quase chegando na época do desfralde!
    Só não entendi… Devemos acordar a criança de 3 a 4 vezes por noite? Isso não prejudicará a rotina do sono?
    Beijos e obrigada! :*

    1. Melina disse:

      Pois é, essa é a dica da especialista… mas eu prefiro deixar dormindo, rs. Mas ainda não comecei a fase do desfralde noturno por aqui.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine nossa newsletter

Cadastre-se para receber novidades e dicas no seu e-mail

Quem sou

Sou Melina Pockrandt Robaina, filha de Deus, jornalista e mãe da Manuela (6 anos) e da Ana Júlia (1 ano)

Eu sou Melina, mas pode me chamar de Mel. Amo escrever, amo meu marido, amo minhas três filhas e, acima de tudo, amo Jesus. Moramos na Pensilvânia, nos EUA, e, sempre que consigo, gosto de falar sobre minhas experiências, aprendizados e desafios seja na maternidade, na vida cristã ou como imigrante.

Saiba mais

Maternidade Simples 2015 - 2024 - Todos os direitos reservados