Para Mães e Pais dias na maternidade

O que esperar dos dias na maternidade?

2 de junho de 2015

Em geral, a mulher que tem bebê fica 48 horas no hospital antes da alta. O que acontece nos dias na maternidade? Saiba o que esperar dessas horas.

Cansaço, muito cansaço.

Seja normal ou cesárea,  o parto é um momento cansativo para a mulher. Por isso, no primeiro dia você estará bem cansada de todo o processo. Além disso, você não vai dormir bem por vários motivos: enfermeiras entram no quarto toda hora, o bebê precisa mamar, ele pode chorar muito ou ele pode não chorar nada, mas você vai querer ficar vigiando a respiração dele. E bem naquele momento que vocês conseguirem pegar no sono vai ser a hora que o obstetra ou o pediatra vai decidir “passar visita”.

Visitas podem aparecer na pior hora possível.

Mesmo que você tenha dito que não queira receber visita, pode ser que alguém apareça. E se você disse que queria receber visita na maternidade, aí sim, elas virão mesmo. Mas as chances de aparecerem na pior hora possível são imensas. E sabe que horas são essas: aquele momento que você está tentando amamentar; a hora do primeiro banho; quando finalmente vão te liberar do jejum após a cesárea e chegou o lanchinho… Posso pensar em muitas aqui. Esteja preparada.

Visitas podem aparecer na melhor hora possível.

Mas a família e os amigos podem chegar naquele momento ideal, em que você quer conversar com alguém ou mostrar o bebê que acabou de chegar no quarto e parece um anjinho dormindo. Você muito provavelmente vai querer falar sobre o parto e sobre estes momentos que está vivendo. Aproveite muito quando forem pessoas de confiança.

Você não vai conseguir manter o visual esperado.

Você levou o “look maternidade” ideal, maquiagem e prancha, mas provavelmente não irá conseguir estar da maneira que imaginava quando as visitas chegarem.

Muito sangue.

Após o parto, é comum haver sangramento. Por isso, pedem para a gente levar aqueles absorventes noturno (ou até mesmo cirúrgicos). Isso significa que corre o risco de sujar aquele seu pijama de maternidade mega lindo que você comprou para receber as visitas.

Erros de cálculo nas roupas do bebê.

A gente sempre ouve falar em três trocas entre o que temos que levar para a maternidade, né? Bem, com a Ana Júlia faltou roupa para ela. Não sei bem por que, mas aconteceu. Isso que eu já tinha levado umas peças extras. Hoje, eu levaria as três trocas principais (que todo mundo pede), mas duas trocas completas a mais.

Erros de cálculo nas roupas do bebê – parte 2.

Se o seu bebê nasceu maior que o esperado, corre-se o risco de as roupas RN não caberem. Por outro lado, se você levou P, pode ser que fiquem bem grandes.

Cadê o bebê?

Eventualmente, o bebê pode demorar um pouco para ir para o quarto. Às vezes nem é nada grave, mas aconteceu algum imprevisto no parto que exige algumas horas a mais de observação.

Aula da amamentação.

Em boas maternidades, você receberá uma verdadeira aula de amamentação. As enfermeiras virão ensinar você e o bebê como deve ser este momento. É uma ótima ajuda. Mas lembre que o bebê pode não mamar muito no hospital. Entretanto, “sugue” ao máximo o que puder de informações destes profissionais, faça muitas perguntas e não leve dúvida para casa.

Sem muita interação.

Muito provavelmente o bebê ficará no bercinho ao lado da cama e dormirá a maior parte do tempo. Não espere muita interação e nem muitos momentos no colo.

Medo de ir embora.

Se você for mãe de primeira viagem, pode ser que você fique com medo de ir embora, levar seu bebê para casa, se questionando se conseguirá dar conta. É normal. Mas acredite, você vai conseguir!

Assine nossa newsletter

Cadastre-se para receber novidades e dicas no seu e-mail

Veja também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentários do Facebook

Assine nossa newsletter

Cadastre-se para receber novidades e dicas no seu e-mail

Quem sou

Sou Melina Pockrandt Robaina, filha de Deus, jornalista e mãe da Manuela (6 anos) e da Ana Júlia (1 ano)

Eu sou Melina, mas pode me chamar de Mel. Moro em Curitiba (PR), sou jornalista, empresária e mãe de duas meninas maravilhosas: Manuela, 10 anos, e Ana Júlia, 5 anos. Um dos meus maiores alvos é tornar a vida mais simples e leve todos os dias.

Saiba mais

Maternidade Simples 2017 - Todos os direitos reservados