Para Mães e Pais o que o bebê pode comer na ceia de natal

O que o bebê pode comer na ceia de natal?

22 de dezembro de 2019

Muitas mães – preocupadas corretamente com a alimentação dos seus filhos – têm dúvida sobre o que o bebê pode comer na ceia de natal? O que está liberado e o que deve ser evitado?

Conversei com a nutricionista especializada em nutrição infantil, Paola Bueno Preusse (do site Maternidade Colorida), e ela esclareceu algumas dúvidas sobre o assunto.

O que o bebê pode comer na ceia de natal?

Existem muitos alimentos que estão liberados para o bebê comer na ceia de natal. Essa preocupação é bastante comum e necessária para pais e mães que têm filhos a partir dos 6 meses, quando acontece o início da introdução alimentar.

E os cuidados são diferenciados até os 2 anos (quando a criança oficialmente já está liberada para comer tudo – sabendo que é importante a gente sempre oferecer alimentos saudáveis e promover hábitos alimentares adequados).

Ceia de natal do bebê: de 6 meses a 1 ano

A Paola fez uma observação muito importante. Nesse época, é bem comum a criança jantar cedo. Portanto, sempre que possível, leve a criança para a festa já alimentada. Assim você não terá dificuldades com a janta do bebê e se alguém tentar “forçar a amizade” para ele comer o que não deve, pode dizer “ele acabou de jantar”.

E leve (ou tenha, se for na sua casa), lanches e petiscos que são liberados para seu filho. Assim, no momento da ceia, se o bebê estiver acordado, você pode oferecer palitos de vegetais e frutas (que geralmente fazem parte da decoração).

Ah, entre 6 e 9 meses, a nutricionista indica que a criança ainda não seja exposta a muitas receitas. Nessa fase, de introdução alimentar, é importante que o bebê tenha contato com a comida sem misturas para um desenvolvimento adequado do paladar e hábitos alimentares.

Se você quiser dar comida para a criança (a partir dos 9 meses), as principais dicas da nutricionista são, em geral, as mesmas que ela orienta para a criança entre 1 e 2 anos. Leia abaixo:

Ceia de natal do bebê: de 1 a 2 anos

A criança entre 1 e 2 anos já passa mais tempo acordada e gosta de participar do agito, né? Então, mesmo que você tenha dado janta antes da festa, é possível que ela queira comer junto com a família na hora da ceia.

A nutricionista Paola deu algumas dicas de como inserir a criança nesse momento.

  • Dê palitos de vegetais (que você pode levar de casa)
  • Legumes, frutas, saladas em geral podem ser oferecidas à criança
  • Arroz branco e à grega são boas opções também
  • Ao oferecer carnes, prefira sempre as partes mais do “meio”, que geralmente estão com menos tempero e sabor mais suave.
  • Também evite molhos muito condimentados ao servir as refeições que a família está comendo.
  • Experimente primeiro. Se estiver muito salgado para você, sabe que está exagerado para seu filho. Então, evite.

Restrições sobre o que o bebê não deve comer na ceia de Natal

Paola estava me explicando que o novo manual de alimentação infantil do Ministério da Saúde foi lançado em 2019 e, entre as diretrizes atualizadas, está a liberação do sal (desde que com moderação) e receitas que incluam leite e derivados. Em suma, a criança já pode, desde a introdução alimentar, ser apresentada à comida da família.

Porém, ainda existem algumas restrições, que foram pontuadas pela nutricionista (algumas a partir da opinião profissional dela):

  • Lombo é uma carne melhor a ser oferecida na ceia se comparado ao peru, chester e outras carnes que já vêm temperadas. Isso porque usam muitos temperos industrializados que não são saudáveis e não deveriam ser oferecidas para a criança tão nova.
  • O tender é uma carne ultraprocessada que deve ser evitada até os dois anos. É cheia de aditivos, realçadores de sabores e coisas que nem sabemos falar o nome direito.
  • Refrigerantes estão fora de cogitação! Até 1 ano, não é indicado oferecer suco para a criança – mesmo integral. O ideal é água, leite materno ou a fórmula que a criança use.
  • Evite alimentos industrializados e ultraprocessados!
  • Não ofereça maionese feitas com ovo cru! Paola indica alimentos crus só após dois anos por conta de segurança alimentar.

Sobremesa para o bebê na ceia

Já sabemos que o bebê até dois anos não deve comer açúcar, né? Então, para facilitar a vida, que tal levar a sobremesa própria para seu filho comer?

  • Uma salada de frutas especial com farofa de nuts (é só bater castanha ou nozes no mixer até ficar farelinho)
  • Mousse de maracujá e manga sem açúcar nem leite (receita da Paola aqui)
  • Aquele sorvetinho de banana que é só a banana congelada e batida no liquidificador. Você pode misturar manga ou morango. Fica super cremoso e não vai açúcar (aqui tem uma receita diferente da Paola com leite de coco)

Lembre: a criança não tem vontade de comer o que ela não conhece. Não é porque ela está olhando que deseja aqui. A graça é estar com a família, participar do momento, receber carinho e afeto.

Muitas festas pela frente

A Paola falou algo muito verdadeiro e que quero reproduzir aqui: seu filho terá muitas festas de natal e ano-novo para viver e se divertir comendo tudo o que quiser. Não fique ansioso ou afobado para dar algo a ele antes do tempo adequado ou necessário. Ofereça carinho, amor e bons momentos em família. Isso é NATAL!

Leia também

Como sobreviver às festas com bebê?

Assine nossa newsletter

Cadastre-se para receber novidades e dicas no seu e-mail

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine nossa newsletter

Cadastre-se para receber novidades e dicas no seu e-mail

Quem sou

Sou Melina Pockrandt Robaina, filha de Deus, jornalista e mãe da Manuela (6 anos) e da Ana Júlia (1 ano)

Eu sou Melina, mas pode me chamar de Mel. Amo escrever, amo meu marido, amo minhas três filhas e, acima de tudo, amo Jesus. Moramos na Pensilvânia, nos EUA, e, sempre que consigo, gosto de falar sobre minhas experiências, aprendizados e desafios seja na maternidade, na vida cristã ou como imigrante.

Saiba mais

Maternidade Simples 2015 - 2024 - Todos os direitos reservados