Durante a Gravidez

Continuando o raio x da lista de enxoval: roupinhas e para a mamãe

24 de janeiro de 2011
Bem, o que não faltam por aí são sugestões de listas de enxoval de bebê: o que toda mãe deve ter antes da chegada do rebento. Outro dia, encontrei uma e vi quanta coisa estranha tinha lá. Por isso, decidi destrinchar uma dessas listas. Já escrevi dois posts sobre o assunto (itens de higiene, banho e toalete e também passeio, quarto e diversos). Hoje, vou falar sobre roupas e coisinhas para mamãe.
 
A lista em questão é do site Alô Bebê, que vende coisas muito legais para neném. Lembre-se: vou contar a minha opinião e experiência pessoal sobre esses itens, mas provavelmente para outra pessoa – inclusive você – isso pode ser completamente diferente!
 
ROUPAS
– 6 babadouros (popularmente chamados de babador) – Primeiro, muitos risos pelo comentário do nome, né? Bem, babadores nunca são demais… inclusive, acho que é melhor ter mais que seis. Só algumas observações: nos primeiros meses, eu tinha uns babadores bem lindos que combinavam com as roupas para que, quando a gente saísse, a Manuela  não sujasse a roupa caso regurgitasse (o que acontecia bastante nas primeiras semanas). Nessa fase, os babadores eram com botão ou velcro, pois achava os de cordinha muito perigosos para ficar no bebê o tempo todo.
 
Quando a Manuela começou a comer, comprei vários babadores simples de cordinha, que usava apenas na hora de dar papinha. Ela tinha também dois babadores lindos de plástico para a refeição. Quando ela começou a comer sozinha, eu passei a usar aquelas fraldas de pano. Prendia na gola da blusa e deixava sobre a roupa até o colo, era mais fácil de limpar a lambança. Hoje (ela está com 2 anos e um mês), não uso mais babador. Até tenho um ou outro, mas quase não uso.
– 6 bodies manga curta e 6 bodies manga longa – Os bodies são ótimos pois ajudam a “segurar” a fralda do neném além de evitar que ele fique com a barriga ou as costinhas de fora. Só acho que se o neném nascer no verão, deve-se aumentar o número de bodies manga curta e o oposto se o nascimento estiver previsto no inverno. Se o bebê for nascer no verão, como aconteceu com a Manuela, é legal ter uns bodies de manga comprida, mas de tecido mais fino,  de tamanho RN. Nos primeiros dias, mesmo que esteja calor, o bebê ainda perde muito calor, portanto, uma manguinha fina é recomendada. Mas, POR FAVOR, não seja neurótica. Depois de alguns dias, deixe o bebê ficar de manga curta, shorts e sem meia se estiver calor, ele também merece curtir as estações!
Uma outra dica: sempre que possível, tenha bodies brancos sem estampa, tanto de manga curta quanto de manga longa. Assim, você vai poder aproveitar com mais facilidades as roupinhas… será mais fácil combinar calças e casacos! Não é muito fácil de achar, portanto, se você encontrar e puder, compre!
– 2 casaquinhos de lã e 2 casaquinhos de linha – Eu colocaria ou um ou outro, dependendo da estação em que a criança nascer. Eu tinha dois casaquinhos de linha (de fio), um branco – que usei UM MONTE desde o nascimento até os 8 meses de idade ou mais – e um lilás. Os de lã, eu só fui usar no inverno mesmo. Felizmente, estavam no tamanho apropriado. Mesmo no inverno, nesse último, eu comprei casaquinho de fio e não de lã, mas acho que depende do gosto de cada mãe. De qualquer forma, casaquinho de fio branco (pode ser inclusive, tipo bolero) é útil o ano inteiro!!
– 6 conjutinhos pagão (geralmente composto de uma camiseta regata, um casaquinho e uma calça de malha) – Olha, preciso dizer que não tive nenhum e sobrevivi. Mas parece algo bem útil, principalmente para o bebê ficar em casa, confortável. Não tive, mas indico.
– 3 cueiros (tecido de flanela que serve para enrolar a criança) – Eu comprei dois conjuntinhos com três na Renner e nem sabia direito para o que serviam, mas foram ótimos para mim. Como a Manuela era beeem pequenininha nos primeiros meses, eu consegui enrolá-la bem direitinho dentro do cueiro e ficava bem mais fácil para segurá-la. Além disso, para os bebês recém-nascidos, a sensação de estar “apertadinho” dá segurança e ajuda a acalmar a criança. Dizem que eles se sentem novamente no útero. Essa matéria da Folha fala sobre os benefícios desse item do enxoval, inclusive aliviar as temidas cólicas.
– 6 culotes (mijão) (calça para bebês, geralmente de malha ou outro tecido fino) – Cada nome, hein? Bem, eu não sei se tinha culote ou mijão, sei que tinha várias calças para a Manuela usar. Além daquelas de malha canelada Lion, tinha algumas simples para usar no dia a dia e tinha um conjunto ótimo que comprei. Eram três calças de cores diferentes, de um tecido um pouco mais grosso, com pés reversíveis. Então, o bebê pode ficar com o pé dentro ou fora da calça. Eram ótimas!
– 5 fraldas de tecido – Eu já falei aqui uma vez que acho que fraldas de pano são muito necessárias… Para mim, no mínimo umas dez. Além de você usar bastante para limpar o neném dos eventuais regurgitos e babas, você pode usá-las para nos primeiros dias limpar o bumbum com água morna. Outra coisa para qual eu usei bastante essas fraldas foi para proteger o sutiã na hora da mamada. Eu prendia sob o seio para que o leite que escapasse não o sujasse. Sempre funcionou.
– 6 macacões – Ótimos, contanto – é claro – que tenha botões embaixo. Mas acho que essas quantidades de roupas são  médias, o que importa é que você tenha uma quantia mínima pensando que a criança pode precisar ser trocada cinco ou mais vezes por dia. Levando em consideração que nem todos têm secadora de roupa, você precisa ter roupas para pelo menos dois dia. Isso, se as sujas forem lavadas todo dia.
– 2 mantas luxo – Amei esse nome… Será que elas têm que ter fios de ouro? Hahahaha. Bem, o fato é que você precisa de pelo menos uma manta mais bonitinha. Aquela que você vai usar na hora de sair com o bebê. Eu tinha uma de malha, bem bonitinha (não chega a ser “luxo”, mas deu para o gasto) e uma de fio que era de um conjunto que usei na apresentação na igreja. Era um macacão lindo e a manta.
– 2 mantas simples – Aquelas para o dia-a-dia ou quando você só vai ali na casa da vovó.
– 3 pares de luva – A Manuela tinha, mas eu não usei, provavelmente pelo fato de ela ter nascido em dezembro. As luvas são muito importantes para os recém-nascidos pois as extremidades deles ficam muito frias.
– 6 pares de meia 00 – As meias desse tamanho são TÃO lindas, né? Mesmo essas ficavam grandes no pé de prematuro da Manuela. A gente prendia com fita crepe.
– 1 saída de maternidade (composto por um macacão e uma manta) – Preciso dizer que esse é um dos itens criados apenas para arrancar dinheiro das mamães. Lembra quando você estava organizando seu casamento e pensou muitas vezes: “puxa vida, isso aqui é só para gastar dinheiro, extremamente desnecessário”. A maternidade é como o casamento, uma máfia em que muita gente ganha dinheiro fácil.

Você pode muito bem sair da maternidade com uma roupinha bonita que comprou e uma das suas “mantas luxo”, não precisa pagar R$ 150 por um conjunto especial (no mínimo, 150 reais, ok?). Claro que, se você tiver dinheiro e quiser gastar ou se algum parente se oferecer para dar de presente, você vai encontrar conjuntos MARAVILHOSOS por aí. Mas se precisar economizar (o que é uma boa nesse momento), é dispensável. Ah, principalmente, porque você vai da maternidade direto para casa, certo? Bebê recém-nascido não deve ficar passeando por aí, nem para desfilar seu conjunto milionário! ;)

Se você comprou ou ganhou um desses conjuntos lindos, aproveite o quanto puder: use para sair da maternidade, para o batizado ou apresentação, para receber as primeiras visitas em casa, etc.
– 4 sapatinhos – Bebê não precisa de sapato. A diferença só faz para nós, mamães, que queremos um visual completo. Ganhei muitos sapatinhos de lã, que nunca usei. E os sapatinhos que tinha (tipo boneca e tênis) só começaram a servir quando ela tinha uns dois meses e meio, três meses. Acho que dá para comprar conforme a necessidade.
– 2 toucas – Touca é importante pelo mesmo motivo que a luva. Os bebês recém-nascidos perdem muita temperatura, principalmente, pela cabeça. É muito importante protegê-los.
– 3 vira manta (tecido de algodão usado atrás do pescoço do neném para evitar o contato com outros tecidos que possam dar alergia) – Confesso que nunca tive isso. Quando eu enrolava a Manuela nas cobertas mais quentes, de soft, eu usava o cueiro para evitar o contato direto.
PARA A MAMÃE
– 30 absorventes para seios (em formato de concha, é feito de algodão e serve para absorver o excesso de leite) – Apesar de um monte de gente falar que não pode usar absorvente de seios, é fundamental. Desses de algodão, eu comprei apenas uma caixa da Lillo, que só vinha com seis, e ficava lavando todo o dia e revezando com a concha e com os descartáveis. Esses eu usava, principalmente, para dormir.
Ah, é triste, mas é verdade: eles não são à prova de vazamento. Acordei várias vezes encharcada de leite, principalmente, quando a Manuela parou de mamar no meio da madrugada. Mas essas coisas fazem parte…
Para sair de casa, sugiro ter alguns absorventes descartáveis. Eles até que duram bastante (mais que os de tecido), mas são meio caros para usar com tanta frequência.
– 1 almofada para amamentação – MUITO importante!
– 1 almofada para a barriga – Eu nunca tive e confesso que não fez falta. Na verdade, nem sei o que é!
– 01 concha para seios (Feita de silicone, serve para corrigir os bicos que estejam invertidos e aceleram a cicatrização de bicos rachados) – Na verdade são um par de conchas e são FUNDAMENTAIS. Por terem o “fundo” de silicone, ajudam a aliviar o seio durante as mamadas, evitando aquela sensação de seio duro e empedrado. No início, quando leite “desce”, eu usava direto em casa.
A outra vantagem, é usá-lo durante a amamentação. Quando você amamenta com um seio, o outro é estimulado e solta leite. Com a concha, você evita os vazamentos. Caso você precise tirar leite para que outros dêem ao seu filho quando não estiver por perto, pergunte ao pediatra como esterilizar a concha para usar esse leite que sai durante a mamada.
 
Ah, só uma dica, não deite com a concha. Várias vezes, a esperta aqui deitou e o leite que estava lá dentro vazou pelos furinhos de respiro que há na parte de cima, resultando em muita sujeira.
 
– 02 protetores para seios (Feito de silicone, protege o bico do seio da saliva do bebê, evitando rachaduras) – Pela descrição, parece o intermediário de silicone para amamentação. Eu não acho que esse item seja para todas a mamães. Eu usei porque a Manuela tinha muita dificuldade para “pegar o seio” e, na UTI, a fonoaudióloga do hospital me orientou que usasse. Mas não deve ser regra, pois com o intermediário o bebê faz mais força e mama menos leite. Além disso, facilita a entrada de ar, causando mais cólicas no bebê e, ainda, é um objeto que precisa de constante esterilização e cuidado para não contaminar o neném.
 
– 1 tira leite (Aparelho manual ou elétrico, serve para retirar o excesso de leite e armazená-lo) – No curso de gestantes, a enfermeira indicou apenas os aparelhos elétricos e, ainda assim, com ressalvas. Eu não lembro exatamente por que, mas chegou um ponto que eu precisava tirar o leite (acho que foi quando a Manuela não pegava mais o seio mesmo e a gente estava introduzindo a fórmula, mas queríamos continuar com o leite materno). Como os aparelhos elétricos são muito caros, comprei um manual bem baratinho que me ajudou. Seja qual for o equipamento, a ordenha deve ser feita com muito cuidado e de preferência com indicação médica, de outra forma, pode machucar o seio. Lembre-se: a melhor forma de tirar o leite é a ordenha manual, mas eu entendo perfeitamente quem tem dificuldades com isso.
 
Ah, não foi falado nessa lista, mas acho importante comentar. Já que falamos de formas de tirar o leite, é importante ter formas corretas de armazenar leite materno. Por isso, existem alguns potes especialmente para esse fim. Segundo os profissionais da saúde, o leite materno deve ser armazenado em potes de vidro com tampa de plástico (tipo os potes antigos de maionese). Algumas marcas têm esse produto, inclusive, existem alguns potinhos que se encaixam nos aparelhos de retirar leite e também podem virar mamadeira. Isso é muito bom, pois quanto menos manuseio no leite, menos risco de contaminá-lo. É importante buscar orientação sobre as formas de esterilizar esses potes, como congelar e aquecer o leite materno.
 
E outro item não mencionado, mas que não pode faltar para a mamãe são os sutiãs de amamentação, né? Eu tinha só dois e deu para o gasto. Eles sujam bastante, mas, como usei no verão, eles secavam logo depois de lavados. Eles eram cor-da-pele e bem firmes. Acho que o mais importante é sentir-se confortável e segura, por isso, as alças devem ser largas para garantir mais sustentação. Ah, e não devem ter arame nem bojo, pois você vai dormir com eles, para segurar o absorvente de seios. Se você puder ter vários diferentes, há umas opções lindas e modernas, mas é importante ter os básicos para o dia a dia.
 
Espero ter ajudado. Boas compras!

E-book descomplica a lista de enxoval de bebê

Assine nossa newsletter

Cadastre-se para receber novidades e dicas no seu e-mail

Veja também

Comentários

  1. Naíma disse:

    Adorei as dicas! A saída de maternidade é com certeza a peça mais importante para o enxoval.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentários do Facebook

Assine nossa newsletter

Cadastre-se para receber novidades e dicas no seu e-mail

Quem sou

Sou Melina Pockrandt Robaina, filha de Deus, jornalista e mãe da Manuela (6 anos) e da Ana Júlia (1 ano)

Eu sou Melina, mas pode me chamar de Mel. Moro em Curitiba (PR), sou jornalista, empresária e mãe de duas meninas maravilhosas: Manuela, 9 anos, e Ana Júlia, 4 anos. Um dos meus maiores alvos é tornar a vida mais simples e leve todos os dias.

Saiba mais

Maternidade Simples 2017 - Todos os direitos reservados