Para Mães e Pais

Cuidados com bebês e crianças no verão

9 de dezembro de 2014

Sun ProtectionAh, o verão! Época deliciosa para aproveitar com as crianças. Mas sol exige responsabilidade! Às vezes, a gente acha que só um pouquinho não tem problema, mas a grande verdade é que os raios solares são muito perigosos, desencadeiam diversos processos oxidativos (envelhecimento celular) e promovem até mesmo mutação no DNA das células, o que leva ao aparecimento do câncer de pele. E mais: os danos são cumulativos, ou seja, o sol que seu filho toma (sem proteção) durante a infância vai refletir lá quando ele for adulto!

Portanto, não brinque quando o assunto é exposição solar. A dermatologista Annia Cordeiro Lourenço, da Clínica da Pele Annia Lourenço, de Curitiba, fala sobre o uso correto do filtro solar:

Aplicar e reaplicar. O filtro deve ser utilizado, no mínimo, 15 minutos antes da exposição solar, pois o produto precisa de um tempo para ter aderência adequada na pele. E deve ser reaplicado a cada duas horas e também após banho de mar, suor excessivo ou atrito, mesmo que o protetor diga que não sai na água. Quando você secar seu filho com a toalha ou colocar e tirar uma roupa, passe novamente!

De olho no FPS. FPS significa fator de proteção solar e indica a quantidade de tempo que você pode expor-se ao sol sem queimar se comparado à exposição sem proteção alguma. Um FPS 15, por exemplo, permite que você fique 15 vezes mais tempo no sol sem se queimar. Para exposição solar intensa, na praia, por exemplo, as pessoas de pele mais morena devem usar um protetor de FPS 30 e as de pele mais branca um FPS 60.  “A partir desse número – há disponíveis produtos com FPS até 100 –, a escolha deve ser quando há indicação de um especialista, pois geralmente são mais caros e não oferecem benefícios maiores para determinado paciente.” Todo mundo no dia a dia deveria usar um FPS mínimo de 30!

Sem economia. Quanto mais protetor, mais proteção. A camada deve ser grossa e uniforme e nenhuma parte do corpo deve ser esquecida. Muita gente sofre com queimaduras na orelha e dedos do pé, por exemplo. Para as costas de um adulto, por exemplo, é necessária uma colher de sopa de filtro para garantir a proteção adequada!

Guarda-sol de verdade. Infelizmente, o guarda-sol de nylon não protege. É preciso que seja feito de tecido escuro, lona ou ainda de tecidos especiais que já têm proteção contra UVA.

COM AS CRIANÇAS
– Bebês com menos de 6 meses: 
não podem usar protetor solar, pois sua pele é muito sensível e absorve facilmente os componentes da fórmula, o que pode resultar em alergias e irritações. Por isso, não devem sair ao sol. Os banhos de sol devem ser orientados pelo pediatra.

– De 6 meses a 2 anos: use produtos específicos para o público infantil. Eles consideram as especificidades da pele da criança e são mais seguros!

– A partir de 2 anos: a criança pode usar o mesmo filtro da família, contanto que tenha FPS alto e seja usado adequadamente. Entretanto, os filtros específicos para crianças tendem a ser mais fáceis de aplicar e mais aderentes. Já contei aqui no blog que gosto muito do Coppertone.

– Use chapéus e roupas leves: procure sempre que possível cobrir a pele da criança. Chapéus e roupas leves garantem mais proteção. Se possível, use produtos feitos de tecido especial que já tem proteção UV. Comprei roupas de banho para as meninas na Puket, que dizem ser com filtro solar.

Você tem mais alguma dúvida sobre o assunto? Já falei sobre este tema neste outro post, talvez possa ajudar!

Assine nossa newsletter

Cadastre-se para receber novidades e dicas no seu e-mail

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

19 − doze =

Assine nossa newsletter

Cadastre-se para receber novidades e dicas no seu e-mail

Quem sou

Sou Melina Pockrandt Robaina, filha de Deus, jornalista e mãe da Manuela (6 anos) e da Ana Júlia (1 ano)

Eu sou Melina, mas pode me chamar de Mel. Amo escrever, amo meu marido, amo minhas três filhas e, acima de tudo, amo Jesus. Moramos na Pensilvânia, nos EUA, e, sempre que consigo, gosto de falar sobre minhas experiências, aprendizados e desafios seja na maternidade, na vida cristã ou como imigrante.

Saiba mais

Maternidade Simples 2015 - 2024 - Todos os direitos reservados