Para Mães e Pais dicas sono do bebê

Dicas sobre o sono do bebê

17 de março de 2015

Há algum tempo fiz um vídeo sobre sono do bebê, mas por diversas questões precisei tirar do YouTube. Entretanto, seguem alguns pontos que acredito serem bem relevantes sobre o tema e algumas dicas sobre o sono do bebê.

Sono do bebê é questão de saúde pública

Dormir bem é necessário para os adultos e também para as crianças. Os bebês precisam de uma boa noite de sono para crescimento e fixação de aprendizado. E nós, adultos, precisamos dormir para sobreviver, rs.

Eu li um pediatra dizendo que a partir de dois meses a mulher PRECISA voltar a dormir! Não conseguimos ser mães felizes e plenas se não dormimos há três, quatro, cinco meses (às vezes até mais!). Por isso, busque achar uma maneira que funcione na sua casa.

Evite hábitos ruins de sono

A criança só quer dormir no carro, no colo, andando… Hábitos são péssimos de serem tirados. O melhor é que a gente não os coloque, mas eu entendo completamente quem faz. Afinal, no meio da madrugada, no primeiro mês do bebê, caindo de sono, a gente faz qualquer coisa para a criança dormir. Mas não deveríamos.

Rotina de sono do bebê

Criar rotina de sono é ótimo para ajudar o bebê a entender que está chegando a hora de dormir. No vídeo, eu conto que a Manuela não tinha isso. Mas com a Ana Júlia, a partir do segundo mês, quando as mamadas estavam espaçando mais, comecei a criar uma rotina de banho + mamadeira (eu parei de amamentar cedo) perto do horário em que ela iria dormir.

No início, o banho era dado perto da hora da mamada mais tarde do dia. À medida que ela ia espaçando o tempo de sono noturno e eu ia conseguindo antecipar esta última mamada, fomos adequando o horário da rotina, que hoje pode ser entre 19h e 20h.

O papel do pai

O pai tem papel fundamental nessa jornada. Primeiro, porque ele precisa ser apoio para a decisão tomada. Vai deixar a criança no berço? Vai compartilhar cama? Mãe e pai precisam estar de acordo com o plano escolhido. E. em segundo lugar, porque o pai pode ser o instrumento de atender a criança de madrugada, levar a chupeta, colocar no berço, pois quando a mãe vai, há mais chance de a criança pedir um mama ou não querer largar…

Nós, mães, somos tudo de bom para o nosso bebê e, às vezes, ele prefere estar conosco (mamando mesmo sem fome ou apenas no nosso colo) do que dormir. Por isso, o pai pode tentar fazer essa transição quando for a hora do sono do bebê!

dicas sono do bebê

Desmame noturno

A gente precisa estar atento aos sinais de que, talvez, a criança não esteja mais tendo fome à noite. O pai atender de madrugada (como falado acima) já ajuda.

No caso da Ana Júlia, como ela usava chupeta, eu percebi que a fome noturna estava passando quando, um dia, eu dei a chupeta para ela acalmar na madrugada, fui fazer a mamadeira e quando voltei ela já estava dormindo. Assim, a chupeta era minha aliada. Se eu desse e ela não acalmasse, então era fome mesmo.

Chupeta na madrugada

A Ana Júlia acordava muitas vezes na madrugada pedindo a chupeta. Às vezes, era uma vez; mas tinha dias que era cinco!! Até que um dia minha babá eletrônica estragou e eu percebi que aquela resmungadas da noite, que me faziam acordar correndo e dar a chupeta, não chegavam a despertar a Ana Júlia e ela conseguia dormir sozinha novamente.

Se ela acordava chorando, eu levantava. Mas se só resmungava, ela conseguia pegar no sono e eu nem precisava levantar. A quebra da babá eletrônica foi minha libertação. Comecei a dormir a noite toda e feliz!

Recaídas do bebê

Mesmo com a rotina estabelecida, o bebê pode voltar a acordar à noite por três motivos:

1) doença: a criança acaba comendo mal e dormindo mal.

2) dia agitado: se o bebê tiver um dia muito agitado, tiver dormido pouco e, à noite, estiver muito agitado ou cansado, pode ter dificuldades para pegar no sono, além de dormir mal.

3) picos de crescimento ou saltos de desenvolvimento: a criança tem fases em que passa por aprendizados e mudanças profundas. Estas fases variam de bebê para bebê, mas tem uma média de faixa etária comum em que aparece.

Um exemplo é a fase da ansiedade/ angústia da separação, que acontece por volta dos 8 meses e que leva a criança a ficar mais apegada à mãe. Mas há também a agitação por conta de novos aprendizados – como sentar e engatinhar – que a criança quer reproduzir à noite, mesmo dormindo.

Não existe fórmula ou dicas sobre o sono do bebê que sejam infalíveis

É importante frisar que não existe fórmula certa. Eu sempre digo que maternidade não é matemática, em que 2+2=4. Você precisa encontrar a fórmula que funciona para você. E com isso, não quero dizer apenas uma fórmula que faça seu filho dormir a noite toda.

Seu filho, você, seu marido, todos da casa precisam estar bem, satisfeitos, saudáveis e felizes com a fórmula escolhida. De que adianta seu bebê dormir bem se, para isso, você mandou seu marido para fora da cama e ele está super chateado? Ou se você colocou o bebê para dormir no berço, mas ficou a noite inteira acordada e insegura do lado da babá eletrônica? Ou, ainda, está criando atrito com o filho mais velho por causa da rotina do mais novo… É difícil ser mãe, mas temos que considerar tudo isso na hora de pensarmos nesta fórmula de sono para nossa família!

Vai passar

Por fim, a velha máxima materna “vai passar”. Vai mesmo! Os primeiros meses, até o bebê completar 2 ou 3 meses, são caos mesmo. A criança precisa mamar com frequência e não há muito o que possamos fazer.

Se você está bem nesse olho do furacão, eu te afirmo: fique firme, tenha fé, vai passar. Nunca ouvi ninguém falando “meu filho de 10 anos acorda de três em três horas para comer”, né? Então, acredite, vai passar e você sequer vai lembrar dessa fase ruim!!

 

Assine nossa newsletter

Cadastre-se para receber novidades e dicas no seu e-mail

Veja também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentários do Facebook

Assine nossa newsletter

Cadastre-se para receber novidades e dicas no seu e-mail

Quem sou

Sou Melina Pockrandt Robaina, filha de Deus, jornalista e mãe da Manuela (6 anos) e da Ana Júlia (1 ano)

Eu sou Melina, mas pode me chamar de Mel. Moro em Curitiba (PR), sou jornalista, empresária e mãe de duas meninas maravilhosas: Manuela, 9 anos, e Ana Júlia, 4 anos. Um dos meus maiores alvos é tornar a vida mais simples e leve todos os dias.

Saiba mais

Maternidade Simples 2017 - Todos os direitos reservados